Quem assina ‘Daniel Dantas’ sofre. Nas duas últimas semanas, desde que o dono do banco Opportunity foi indiciado na Operação Satiagraha da Polícia Federal, os xarás de nome e sobrenome do banqueiro passaram a ser alvo de piada, confusão e até constrangimentos internacionais. O mais famoso homônimo de Daniel Dantas, o ator da Globo, teve suas fotos estampadas em dois jornais, Diário do Sul Bahia e o italiano La Stampa, confundido com o investigado. Por esses contratempos, o artista e outros ‘Daniéis Dantas’ sentem estar com o nome sujo na praça.

“Quero meu nome de volta”, reclama o ator de Ciranda de Pedra, da Globo. “Quando a história começou a ter repercussão, sabia que ia ter brincadeirinha dos amigos, no Casseta e Planeta, mas não imaginava sofrer esse tipo de confusão.” É tanta dor de cabeça que ele está preparando um ação judicial contra os jornais pelo erro. Como trabalha com sua imagem, o ator acredita que a falha dos meios de comunicação pode criar uma visão negativa sobre ele, que deveria recair apenas sobre o vilão que interpreta na novela das seis, Natércio Prado, esse sim, um homem rico, ambicioso e com a integridade em questão.

Para quem vive fora dos holofotes, ser confundido com o banqueiro que está sendo investigado incomoda menos, mas incomoda. “Trabalho com prestação de serviços e levo meu nome e sobrenome no cartão de visitas, aí pega muito mal”, conta Daniel Dantas, de 32 anos, eletricista de Sorocaba, no interior de São Paulo. O maior infortúnio para ele é ter enfatizado o sobrenome herdado do avô paterno no noticiário policial. “Vai que o banqueiro é nosso parente?” Esse bom humor é comum aos demais Daniéis Dantas espalhados pelo Brasil. E olha que não são poucos. Só na lista telefônica, há pelo menos 70 registros de pessoas chamadas pela combinação de nomes mais citada nas capas de jornais nos últimos tempos.