Quem era criança em 1995, ou tinha filhos, netos ou sobrinhos com menos de 10 anos, deve se lembrar dos versos: “Power Rangers têm a força. Power Rangers são heróis”. Enquanto os fãs de Sandy e Junior preparavam coreografias caseiras para a música que falava sobre o seriado americano, a cantora – na época aos 12 anos – morria de vergonha por ter de dançar e cantar um tema tão infantil. O tempo passou, Sandy amadureceu, rompeu a dupla com o irmão e hoje aos 27 anos, lança seu primeiro disco solo, “Manuscrito”. “Pude trabalhar com calma, no meu ritmo, pela primeira vez”, afirma.

Foram mais de dois anos afastada dos holofotes. Nesse período, a cantora teve ocupações mais domésticas. “Eu descansei, dormi tarde, acordei tarde, malhei. E também me casei, aprendi a administrar um lar, a ser uma dona de casa”, diz ela, que afirma adorar a função que divide com o marido, o músico Lucas Lima, 27 anos.

Declarar o fim das férias foi uma opção da artista. Para compor um álbum mais intimista, de tons suaves e temática introspectiva, Sandy levou a inspiração ao piano e aproveitou os momentos de interação com o marido para experimentar sonoridades. Uma das influências do álbum vem da música pop britânica, de artistas como KT Tunstall, Coldplay e Nerina Pallot, que inclusive faz uma participação na música “Dias Iguais”.

O disco é solo. Mas Sandy ainda não se desligou realmente do irmão. Além de assinar a melodia de algumas canções do CD, Junior aparece como produtor do trabalho, ao lado de Lucas Lima. Além disso, os dois tocam vários instrumentos no álbum.

A cantora justifica a escolha: “Trabalhar com o Lucas foi excelente. Ele é um grande parceiro na vida e na profissão. Ele e meu irmão são pessoas em quem confio. Quis tê-los na produção porque sei não iam trair quem sou”. E em tempos de músicas na internet, “Manuscrito” está sendo lançado em versão digital, com cinco faixas do disco. A partir de 7 de maio, o álbum estará disponível nas lojas. As informações são do Jornal da Tarde.