Mulheres vivem tentando perder peso para se sentirem mais bonitas. Na contramão do clichê, Ana Cecília Costa, 42 anos, intérprete da Gaia de Joia Rara, passou dois meses fora do ar fazendo dieta para ficar combalida na tela. Na novela, ambientada nas décadas de 1930 e 1940, a personagem foi enviada a um campo de concentração na Europa e dada como morta, inclusive para o público. Porém, voltará ao Brasil após uma passagem de dez anos na trama, que coincide com o fim da 2ª Guerra, no capítulo previsto para este sábado, 7.

No período de intervalo das gravações, a atriz sofreu para ficar 5 kg mais leve enquanto pesquisava sobre as vítimas dos nazistas. “Cortei açúcar e massa. Quando saio com meus amigos, não posso tomar chope nem comer pizza”, disse à reportagem, enquanto tomava um café puro diante de uma vitrine de tortas e doces. “Vai lá, aproveite. Eu não posso, estou num campo de concentração”, lamentava.

Para entrar no clima de Gaia, imigrante lituana que, na história, batia cartão como operária da Fundição Hauser, a baiana se isolou em casa com livros e filmes sobre o holocausto. Por conta do regime, o humor não ficou dos melhores, o que a levou a ter menos vida social. “Não sou uma boa companhia no momento”, avisou.

Na novela, escrita por Thelma Guedes e Duca Rachid, o retorno da personagem será dramático. Nos capítulos já exibidos, Toni (Thiago Lacerda) saiu da prisão e recebeu a notícia de que Gaia, com quem era casado, havia morrido na mão dos nazistas. O ex-operário, então, casou-se com Hilda (Luiza Valdetaro). Mais tarde, ele verá uma foto da lituana em uma reportagem sobre os sobreviventes dos campos de concentração que voltaram ao País. Ao descobrir que o amado tem outra, ela tentará lutar para reconquistá-lo. Ambos, porém, não saberão do paradeiro do filho, separado do casal no momento em que ambos foram presos, dez anos antes.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.