Com o escritor, quadrinista e dramaturgo Lourenço Mutarelli em Nova York, a TV Cultura leva ao ar hoje o terceiro dos 16 episódios de “Amores Expressos”, título que nasceu como série de livros e simultaneamente mereceu registro em imagens para o documentário da Academia de Filmes, agora em exibição. Quando soube da jornada literária disposta a enviar 16 autores a 16 cidades do mundo por um mês, com a missão de escrever um livro tendo o amor como foco, o cineasta Tadeu Jungle e a roteirista e diretora Estela Renner embarcaram imediatamente no encalço dos escritores.

Xangai, vista por Antonio Prata, e São Petersburgo, por Bernardo Carvalho, fizeram as duas edições iniciais. Na Nova York de Mutarelli, no ar hoje, temos uma distinção entre a polida Manhattan e o latino e africano Brooklyn, onde o escritor se hospedou. “É difícil perceber até que ponto é a cidade, até que ponto são cartões postais”, diz Mutarelli.

“Estes quadros pretendem abrir uma brecha na narrativa da TV usual, estimulando o espectador a ficar mais atento ao fluxo de informações e não passivo a um fio condutor conhecido”, endossa Jungle. Nos destinos a seguir, “Amores Expressos”, no ar às quintas-feiras, às 23 h (com reprise aos sábados, às 21h45), visitará Mumbai pelos olhos de Antonia Pelegrino, Buenos Aires por Daniel Galera, Lisboa por Luiz Ruffato, México por Reinaldo Moraes, Paris por Adriana Lisboa, Havana por Chico Matoso, São Paulo por André de Leones, Cairo por Joca Reinner Terrón, Dublin por Daniel Pellizari, Berlim por Cecília Gianetti, Istambul por Amilcar Bettega, Praga por Sérgio Sant’Anna e Tóquio por João Paulo Cuenca, que encerra a série no dia 11 de agosto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.