Em 1995, quando a Cia Máscaras de Teatro formou-se para realizar  ?A Casa do Terror  Parte 1?, jamais imaginou  que 10 anos depois, estaria ainda em cartaz com essa verdadeira saga. Um trabalho feito com muito amor e carinho por todas as pessoas envolvidas. Pensando nisso a Cia Máscaras preparou o retorno do espetáculo para outubro, mês em que a peça estreou há exatamente uma década.

?É impossível não se emocionar e não sentir saudade de todos que participaram de cada espetáculo, de cada estréia e de cada temporada!? diz João Luiz Fiani autor do texto  ?Sou grato a cada um que acreditou nessa minha loucura. Vocês são muito especiais pra mim  Marino Jr, Regina Bastos, Eduardo Dias, Fábio Silvestre, Alisson Diniz, Kate Costa, Isabel Milani, Nadja Naira, Chico Nogueira,  Mario Schoemberger, Tony Silveira, Adriana Lima e aos saudosos Carlinhos e Rogério Delê  para mim, o eterno vampiro!?

Em 1998 veio A Casa do Terror Parte 2, e com ela uma homenagem ao filme Exorcista. Show de interpretação de Marino Jr, Marco Zenni, Sérgio Medeiros, Maureen Miranda, Marcelo Jorge, Anderson Faganello, Eduardo Dias. Sucesso absoluto.  Na história o Mordomo, acaba sendo dominado por um espírito bom. Sempre austero e rígido, se transforma em uma pessoa boa e doce  um exorcista às avessas.  A peça ficou em cartaz quase dois anos.

Na versão de 2001, A Casa do Terror Parte 3, o vampiro para não perder o hábito faz mais uma besteira levando para a casa , Lúcia, uma menina, mimada, chata, irritante e virgem. A peça  ficou em cartaz durante um ano. Um reconhecimento absoluto por parte do público. Ranieri Gonzalez, nos presenteou com uma interpretação memorável da personagem Lúcia, criada anteriormente para Era Uma Vez Um Morto. Levou ao palco, com primazia, a verdadeira arte da comédia em sua essência e nos proporcionou situações antológicas de humor absoluto.

Na  parte 4 de 2002, foi a vez de Marino Jr  entrar em cena como papel título. A peça brincava com um dos maiores fenômenos daquela época Harry Potter. Por uma feliz coincidência Marino teve de deixar o espetáculo para embarcar  para a Itália onde residiu por 18 meses estudando e trabalhando com teatro. O que abriu as portas para o retorno de Fábio Silvestre (parte1) ao elenco semi-fixo da Cia Máscaras de Teatro. 

?A Casa do Terror foi, é, e sempre será uma grande brincadeira. Lazer e entretenimento no sentido literal da palavra. Temos um compromisso com o público que sai de casa, estressado, cansado, preocupado, louco para esquecer as mazelas do dia-a-dia.  É para essas pessoas que eu trabalho, que faço comédia, que faço rir?. diz Marino, ao completar dez anos de Casa, de Cia, de Lala.

Para quem não se lembra do espetáculo aí vai um refresco: em A Casa do Terror 1, o Mestre das trevas, precisa de uma virgem para aplacar a sua ira pela humanidade.  Uma doce velhinha, moradora dessa casa, conta para a platéia, toda a sua dor e desespero de estar presa ali.  Ela narra como foi parar ali dentro e todo o sofrimento que passou e ainda passa. 

Por ordem do mestre, os moradores da casa, saem em busca da virgem. O Vampiro, sempre enrolado, trás algumas mulheres nada virgens para a casa, e acaba as transformando em Vampiras. Até que sem querer, atrai a virgem para a casa. Aí a confusão está feita! Mortos vivos, vampiros e seres das trevas fazem de tudo para ter certeza que a menina é realmente virgem!  

O retorno da peça é também uma forma de preparar o público para a parte 5 que deverá estrear durante o Festival de Teatro de Curitiba no ano que vem. ?Queremos abalar em 2006. A Casa do Terror nunca participou do FTC e pela magnitude do evento temos a certeza que atingiremos umas 5.000 pessoas durante os 10 dias do evento, o que representaria cerca de 5% do festival?, finaliza o produtor Marino Jr.
 
Serviço:
A Casa do Terror
Teatro Lala Schneider
sextas e sábados – meia-noite
ingressos: R$ 20,00, R$ 12,00 (bônus) e R$ 10,00 (estudante)