O diretor de futebol do Flamengo, Zinho, confirmou hoje a saída do atacante Adriano.

O jogador, que tinha contrato com o clube até o final da temporada, já tinha se antecipado e anunciado ontem que deixaria o time carioca. Mas, poucas horas depois, o atacante divulgou nota em que recuava da decisão.

“Ele mesmo se antecipou, via sua assessoria, e disse isso [que sairia]. A permanência ficou inviável. Estávamos desgastados com as faltas e indisciplinas. É bom para ele e para o Flamengo”, disse Zinho hoje, em entrevista coletiva.

“Espero que ele venha aqui amanhã para se explicar. Acho importante para ele, até para a recuperação dele e se despedir do torcedor. Acho isso bom para ele”, acrescentou.

Zinho diz acreditar ainda na recuperação de Adriano, mas afirmou que o atacante precisa de apoio psicológico e clínico.

“Acho que ele está jogando um grande momento na vida dele, o que pode dar alegria para a vida dele, fora. O Adriano é uma boa pessoa. Ele tem que ter um acompanhamento, um tratamento”, completou.

Desde a última quinta-feira, Adriano não treinava no clube. Na ocasião, pediu para ser liberado das atividades até hoje.

Na madrugada de sexta, o jogador subiu ao palco de uma boate carioca e, com dificuldade para se expressar, falou para o público sobre seu amor ao Flamengo e à favela. Pelo contrato que assinou com o clube, o atacante poderia ser demitido por justa causa após a terceira falta aos treinos -o limite de ausências já havia sido descumprido em outubro.

Adriano assinou contrato com o Flamengo em agosto, mas não jogou pelo time da Gávea neste ano. Ele ainda não se recuperou de uma cirurgia no tendão de Aquiles do pé esquerdo -no mesmo local onde foi operado no ano passado. A operação foi realizada em abril.