Tico ou Zico? Na grafia é uma letra, mas em termos de prestígio, marketing e reconhecimento, é quilométrica a distância entre os dois possíveis técnicos do Atlético – por mais respeito que possa merecer o veterano prata da casa Cleocir Santos, atual interino do time.

A contratação do Galinho de Quintino, que estará hoje em Curitiba, é o grande sonho da diretoria atleticana. Na versão oficial do clube, Zico apenas visitará o CT do Caju a convite do diretor de futebol Edinho Nazareth, velho amigo dos tempos de seleção brasileira e Rio de Janeiro. O Rubro-Negro cogita ainda o acerto de uma parceria com Zico, que atenderá a imprensa paranaense a partir das 16 horas e à noite volta ao Rio.

Edinho desconversa. Ele até admite que ter o ex-camisa 10 como técnico seria “muito bom”, mas garante que o convite da visita foi feito há mais de um mês. A vinda do Galinho justamente agora, quando o time está sem técnico e o técnico sem time, seria apenas coincidência.

“É a mesma situação do Cerezo, que também nos visitou. Zico é nosso amigo e tem um clube de futebol (o CFZ, presidido por seu filho Bruno). Nada foi conversado, mas ele quee conhecer nossa estrutura e eventualmente, levar algumas experiências para lá”, disse o diretor.

Na verdade, o grande objetivo do Atlético ao trazer Zico à cidade é tentar sensibilizá-lo para assumir o cargo de técnico. O ex-craque do Flamengo e da seleção está parado desde o fim da última temporada européia, quando rejeitou a renovação do contrato com o Fenerbahçe, da Turquia – no qual obteve excelentes resultados. Durante a visita, o Galinho receberá uma proposta oficial para dirigir o Rubro-Negro, preferencialmente num trabalho em longo prazo.

A tarefa, porém, é árdua. Em artigo semanal publicado no dia 23 de julho em seu site oficial, Zico escreveu: “já fui anunciado até como possível treinador aqui no Brasil, o que sempre deixei bem claro que está completamente fora dos meus planos. (…) Ainda espero conseguir voltar a trabalhar como técnico de futebol que é a profissão que escolhi. Não descarto mesmo a possibilidade de sair do futebol para me dedicar a outras atividades. Mas não é o que quero no momento.”

Zico considera pouco ético acumular suas atividades no CFZ com o comando de outra equipe brasileira. E também sente-se desconfortável com a possibilidade de enfrentar um dia o Flamengo, clube no qual se consagrou. De qualquer forma, o Atlético apresentará hoje suas cartas. Se não der certo, a tendência é que Cleocir Santos, o Tico, seja efetivado como treinador.