Maior ídolo da história do Flamengo, Zico iniciou nesta terça-feira o seu trabalho como novo diretor executivo de futebol do clube. E, saudosista, não escondeu a emoção ao pisar no gramado da Gávea, onde iniciou a sua carreira como uma promessa que depois se transformou em um dos maiores jogadores do Brasil em todos os tempos.

“Hoje (terça-feira) eu lembrei que há 44 anos eu chegava aqui (no Flamengo). Atualmente só tem uma pessoa daquela época aqui. É uma satisfação imensa e uma emoção muito grande retornar ao Flamengo. Chego de peito aberto e começando do zero para tentar fazer um clube melhor. Quero conseguir montar um time bom e deixar um legado para outras gerações. É uma ideia que temos, eu e a presidente (Patricia Amorim)”, afirmou Zico.

No primeiro dia de trabalho no Flamengo, o dirigente revelou que o clube já está buscando reforços e que a prioridade de momento é a contratação de um jogador de peso para o ataque, depois da ida de Adriano para a Roma. “Primeiro, temos que substituir as perdas que teremos no elenco. A prioridade é o ataque, até porque perdemos o Adriano. É difícil contratar um jogador da capacidade dele, mas estamos tentando. Temos no ataque apenas o Vágner Love, que ainda não está com situação definida, o Diego Maurício, o Paulo Sérgio, que voltou para recompor o elenco, e o Vinícius Pacheco, que não é um atacante de ofício”, analisou.

Em seguida, Zico disse que o time precisa de jogadores de meio-campo que “atuam ofensivamente”. “Estamos procurando nomes que possam ajudar o Flamengo. Existe uma competição no mercado muito grande, mas temos situações muito bem encaminhadas. Vocês só não ouvirão de mim nomes. Só falo alguma coisa quando estiver concretizado”, adiantou.