João de Noronha
London Trip (R.Oliveira), do Stud
Estrela do Norte, preparado por Jairo
Borges, confirmou seu favoritismo.

O Clássico Ney Braga, corrida mais importante de sábado passado, no Tarumã, como se esperava, marcou a quarta vitória de Wiseguy, que no dia 1.º de julho completará 7 anos e continua dando muita alegria ao criador Jael Bergamaschi Barros e, naturalmente, ao treinador Márcio Ferreira Gusso.

Mais uma vez dirigido com tranqüilidade por Jair Jesus, no final da reta oposta, atacou Fuego Cigano, para dominá-lo e seguir até o final. Fuego Cigano, porém, correu muito, chegando inclusive a ameaçar uma reação nos 250 finais. Juanito Caminador terminou mais atrasado na terceira colocação.

Wiseguy, um filho de Emmson e What a Siren, de criação e propriedade de Haras J.B. Barros, apresentado em boa forma por Márcio Ferreira Gusso, recebeu tranqüila direção de Jair Jesus.

Outra provas

Haarlen (Z.M. Rosa), de Eduardo Barcelos Coutinho, venceu a prova de abertura, dominando o ligeiro Quicksilver Boy, que chegou a dar impressão de vitória. Nos últimos metros, porém, o pensionista de Júlio César livrou cabeça de vantagem. Rosenkavalier chegou mais atrasado na terceira colocação.

Mega Glory (U. Duarte) venceu a segunda prova defendendo a farda do Haras Valente. Muito veloz, foi colocada pelo lado externo da pista para ganhar facilmente de Nilka, que formou a dupla, também pelo lado externo da raia. Light Horse terminou na terceira colocação.

Jefacto (J.S. Cardoso), defendendo as cores do Haras Mineral Park, apresentado por Ricardo Bueno Colombo, estreou com vitória. Depois de se destacar de Conchita Buena recebeu forte ataque de Harley, que chegou a dar impressão de vitória, mas reagindo junto à cerca interna Jefacto ganhou por diferença mínima, com Gran Fanático na posição imediata.

London Trip (R. Oliveira) confirmou seu favoritismo na quarta prova. O defensor das cores do Stud Estrela do Norte, apresentado por Jairo Borges, correu mais atrasado, mas na reta atropelou forte pelo centro da pista, para ganhar com autoridade de Best Hour, com Odish na posição imediata.

Made to Win (E. Silva), de Diácomo Gamaliel Meneghel, preparado por Ricardo Colombo, venceu a quarta prova. Xarolles correu na ponta, mas no final foi dominado por Made to Win que atropelou com grande ação, ganhando por 6 corpos de Xarolles, que defendeu o segundo, com Glad Mind na terceira colocação.

Mystic Sunset (J.S. Cardoso), do Norton América Stables, apresentado em boa forma por Luiz Roberto Feltran, venceu a sexta prova. Dá-lhe Grison, que correu na ponta, chegou a dar impressão de vitória, mas no final foi amplamente dominado por Mystic Sunset, enquanto King Glory obteve bom terceiro,

Brown Point (M. Robaldo) venceu de maneira sensacional a última prova da tarde. Ultramontano deu a impressão que confirmaria seu favoritismo, mas em sensacional atropelada dominou Brown Point livrou vantagem nos metros finais, com Ahead Again em 3.º. Grande atuação do garoto Marcos Robaldo na direção do defensor do Stud Custódio, que foi apresentado por Jairo Borges.