O volante Wesley está envolvido em uma das negociações mais obscuras do atual mercado de transferências do futebol brasileiro. O jogador tem contrato com o Palmeiras até fevereiro do ano que vem, mas já tem um acordo selado com o São Paulo para se apresentar logo após o término de seu vínculo com o clube, entretanto, nenhum dos envolvidos no negócio admite o acerto. Pelo contrário. A negação é coletiva. O atleta garante que ainda tem o futuro indefinido e diz que gostaria de renovar contrato.

“Tenho contrato até fevereiro com o Palmeiras e, hoje, mentem quem fala que sou jogador do São Paulo. Talvez exista o interesse, mas não tem nada de concreto. Não sei qual o planejamento do Palmeiras, mas a intenção é sempre ficar”, disse o volante, que não quis opinar sobre o futuro. Apenas pediu para descansar nas férias.

“Pedi para meu empresário me deixar tranquilo em relação a isso. Só quero descansar. Sou jogador do Palmeiras, estou de férias e quero aproveitar os amigos, porque foi um ano complicado”, explicou Wesley, que ao ser questionado se tinha um acerto com o São Paulo, afirmou categoricamente que “não.”

A negociação entre Wesley, Palmeiras e São Paulo existe há meses. Em uma primeira conversa, Wesley entrou em contato com a diretoria palmeirense e fez uma proposta para renovar contrato. O presidente Paulo Nobre respondeu com uma contraproposta e o jogador pediu valores diferentes. Após esse último passo da negociação, as conversas foram paralisadas, até que alguns clubes procuraram o jogador. Além do São Paulo, o Grêmio, Atlético-MG e Flamengo também entraram em contato com os representantes do atleta.

Com receio de perder o jogador de graça, como deve acontecer, Nobre então resolveu aceitar o que Wesley havia pedido, mas o jogador resolveu alterar os valores, alegando que neste período havia sido valorizado e por isso as cifras seriam maiores do que ele havia pedido anteriormente. A diretoria fez um contrato com o salário que ele havia pedido e deixou nas mãos do jogador para assinar. Neste período, antes de falar não para o Palmeiras, o atleta adiantou as conversas com o São Paulo e na semana passada assinou contrato com o rival.

Como tem contrato até fevereiro, a tendência é que Wesley fique treinando em separado no Palmeiras até acabar seu vínculo e depois vá para o São Paulo, com quem firmou um acordo de três temporadas. A diretoria do Palmeiras já acerta os últimos detalhes para contratar o volante Amaral, do Goiás, como seu substituto.