O zagueiro Werley, do Santos, foi suspenso por três jogos pela 5.ª Comissão Disciplinar do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), devido à expulsão no clássico com o Corinthians, no mês passado. Já David Braz, que também recebeu cartão vermelho naquele jogo, foi absolvido por unanimidade. O árbitro Flávio Rodrigues Guerra acabou advertido, mas corre o risco de sofrer nova denúncia.

O clássico foi disputado no Itaquerão em 20 de setembro, pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro, e acabou sendo vencido pelo Corinthians por 2 a 0. A partida foi recheada de polêmicas. David Braz foi expulso em pênalti cometido na verdade pelo lateral-esquerdo Zeca. O árbitro, porém, relatou em súmula que apresentou o vermelho por ofensas. Já Werley, expulso após receber o segundo amarelo, ofendeu Flávio Guerra e terminou empurrando o quarto árbitro, Thiago Duarte Peixoto, pelas costas.

O relator do caso, Marcio Amaral, considerou que “é claro que houve erro do árbitro”. Ele foi além e disse que “é contundente que a súmula está viciada”. O auditor ainda classificou como grave o fato de o árbitro “querer mascarar o erro com uma anotação na súmula”. Por isso, absolveu David Braz. Ele puniu Werley pelas ofensas. O voto foi seguido pelos demais, com uma única divergência em relação ao número de jogos de punição.

Flávio Rodrigues Guerra foi apenas advertido. Mas isso porque a procuradoria do STJD denunciou o juiz por ter registrado em súmula, supostamente de maneira equivocada, o atraso de Corinthians e Santos na entrada em campo. Ele não foi denunciado pelos erros no registro das expulsões.

A ausência dessa denúncia gerou um pedido dos auditores à procuradoria. “Estou sugerindo que avalie a possibilidade de nova denúncia ao árbitro”, pediu em seu voto o auditor Rodrigo Raposo. “Há altos indícios de fraude à súmula.” A proposta foi acatada pelo relator e também pelo presidente da sessão, José Perdiz.