Com qualidade técnica indiscutível e capaz de marcar golaços como o do último sábado (1×0, sobre o Sport), o meio-campista Welington busca reassumir uma posição de evidência no elenco do Paraná Clube. Muitas vezes relegado e ficando até fora do banco de reservas, o jogador não baixa a guarda e cada vez mais conquista o carinho do torcedor por seu profissionalismo. Foi relacionado em apenas seis jogos desta Série B e somente no último sábado estreou na competição. Mesmo assim, nunca cogitou a possibilidade de deixar o clube.

“Respeito demais essa camisa e meus companheiros. O nosso elenco é muito forte e temos um treinador de primeira linha”, disse Welington, herói da vitória decisiva sobre o rubro-negro pernambucano. Welington chegou ao Paraná em 2011, exatamente para a disputa da Série B. Uma pubalgia atrapalhou seu desempenho na primeira temporada, mas ele sempre teve reconhecimento do torcedor.

“É isso que dá força pra gente seguir trabalhando e buscando espaço. Sempre fui tratado com muito respeito por torcedores e dirigentes e só posso retribuir treinando bem e fazendo bons jogos, quando escalado”, destacou. Todos os treinadores que passaram pelo Paraná nos últimos anos sempre exaltaram a qualidade técnica de Welington, talvez “o melhor passe” de todo o grupo. Só que apesar dessa virtude, o meia há tempos não consegue uma vaga entre os titulares.

“Tenho a minha característica de jogo e não há como fugir disso. É claro que a gente sempre procura corrigir algum defeito, mas dentro das possibilidades”, disse. Se não possui a mesma dinâmica de outros jogadores da posição, Welington sempre se notabilizou pela visão de jogo e pela facilidade com que coloca os companheiros “na cara do gol”. No último sábado, trocou a assistência por um tiro certeiro de canhota, no ângulo do goleiro Magrão. “Ali, vi a jogada claramente. Quando o Paulinho rolou, já cheguei enchendo o pé e sabendo que faria o gol”, lembrou.

No início do ano, Welington era visto pelo então técnico Toninho Cecílio como o reserva imediato de Lúcio Flávio. Para o Brasileiro, a concorrência aumentou com a chegada de Fernando Gabriel. Welington sabe que a “briga” é dura, mas diz estar feliz por fazer parte deste grupo. “Temos um ambiente fora do comum. Todos se ajudam e confiamos absurdamente no trabalho do Dado. Vou buscar meu espaço, mas com tranquilidade e sabendo que o mais importante é buscar os resultados para colocar o Paraná novamente na Série A”, concluiu.