Depois de 11 temporadas, a carreira do australiano Mark Webber na Fórmula 1 chegará ao fim neste domingo, no GP do Brasil, última etapa do Mundial de 2013. Mesmo com tanta história na categoria, o piloto da Red Bull parece estar mais aliviado do que nostálgico com o momento e não esconde a ansiedade pelo fim deste “capítulo” em sua vida profissional.

“Mal posso esperar”, disse o piloto, que garantiu não ter nenhum arrependimento da decisão de se aposentar da Fórmula 1. “Claro que não. Foi ótimo, mas preciso partir para o próximo capítulo agora. Qual a opção? Não se pode estar meio grávida. Ou está, ou não está. É hora de fazer outra coisa.”

Ao longo desses 11 anos, Webber passou por Minardi, Jaguar, Williams e chegou à Red Bull em 2007. Classificado pelo espanhol Fernando Alonso como um piloto “clássico” e um “cavalheiro”, o australiano de 37 anos admitiu fazer parte de outra geração e se disse “um pouco velho” para a categoria.

“Obviamente eu estive na transição de uma geração diferente. Talvez possa ser chamado de clássico”, comentou. “Não sei exatamente o que isso significa, mas sim, estou um pouco velho para o esporte, e não me preocupo em estar um pouco velho. Tive bons momentos e agora estou a procura de novas coisas.”

Webber demonstrou estar certo de sua decisão de abandonar a Fórmula 1 e garantiu não se arrepender dos rumos que deu à carreira na categoria. “Não se pode tomar decisões perfeitas o tempo todo, mas não sou de me arrepender, então preciso conviver com minhas decisões e seguir.”

Webber já assinou contrato com a Porsche e em 2014 disputará o Mundial de Endurance, competição que conta com a tradicional prova das 24 Horas de Le Mans. “Não vai ser um foguete para o sucesso, vou precisar trabalhar duro. Mas assinei com uma companhia muito famosa, uma das marcas automotivas mais famosas do mundo, então será bastante animador para mim”, apontou.