A eliminação da seleção chilena nas oitavas de final da Copa do Mundo, após emocionante disputa de pênaltis contra o Brasil no último sábado, não abalou o orgulho de seus jogadores. Pelo contrário, para o volante Marcelo Díaz, por exemplo, a equipe voltará para casa de cabeça em pé após uma grande campanha, que incluiu a vitória sobre a atual campeã mundial Espanha na primeira fase.

“Estivemos muito perto. Mas quando o último pênalti não entrou comecei a me perguntar se a sorte não nos havia abandonado, se na realidade era uma partida que não estávamos destinados a ganhar. Nós deixamos a pele nesta competição e vamos para casa com o orgulho intacto e com a cabeça bem erguida”, disse ao site da Fifa.

Depois de um empate por 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, o Chile caiu nos pênaltis por 3 a 2 quando a última cobrança de Jara parou na trave. Mas a forma como a equipe se portou fez com que Díaz deixasse a competição com a certeza de que ele e seus companheiros fizeram o possível em solo brasileiro.

“Nós demos absolutamente tudo”, garantiu o volante. “Nunca abaixamos os braços nem por um segundo, e enfrentamos o Brasil em igualdade. Sabíamos que seria uma partida muito difícil, porque tínhamos pela frente uma das grandes nações do futebol, mas sempre estivemos à altura e jogamos maravilhosamente bem. Podemos estar orgulhosos de nosso desempenho. O que acontece é que nesses momentos nos custa digerir a forma como tudo acabou.”