Depois de mais de um mês de desencontros, o volante Chico e o Atlético chegaram a um acordo e o jogador deixa o clube. Ontem, o volante rescindiu seu contrato, que tinha validade até 1.º de agosto, e terá de pagar uma multa ao Furacão.

O Rubro-Negro ainda mantém em sigilo os valores, mas especula-se que a saída do volante renda 500 mil euros aos cofres (R$ 1,090 milhão) -1/3 do valor obtido pelos empresários na negociação.

Até a semana passada, o Atlético ainda discutia a possibilidade de ficar com 15% dos 50% que detinha sobre Chico, porém, optou por não ficar com nenhum percentual e liberar o jogador sob pagamento da multa.

“Chegamos a um consenso e agora só falta assinar a papelada para ele ser liberado. Não ficamos com nenhum percentual”, disse o presidente Marcos Malucelli.

A incógnita do caso agora é o destino do volante. Os empresários mantêm a sete chaves o nome do clube com que fizeram negociação. Depois de Betis, da Espanha, o Sporting, de Portugal, entrou na lista das especulações.

No entanto, o Palmeiras também está nesta possível briga. Segundo o diretor de futebol da equipe paulista, Wlademir Pescarmona, Chico é um dos jogadores que mais interessam ao clube neste começo de temporada.

Ainda surpreso com a rescisão contratual do jogador, o dirigente já deve agilizar uma conversa com os empresários ainda hoje. “Esta notícia de que teve a rescisão é excelente. Estávamos aguardando um sinalizador do Atlético e aí voltaríamos a conversar com o Chico”, destacou Pescarmona.

Mas as especulações de que Chico poderia ir para o exterior preocupam o diretor do Palmeiras. “Essa proposta do exterior nos deixou um pouco preocupados, mas vou me interar do assunto”, completou.