Roberto Brum está na bronca com
parte da imprensa.

Se o trabalho foi árduo até agora, nesta semana será mais ainda. O técnico Paulo Bonamigo tenta evitar que a pressão exagerada e o clima de ?já-ganhou? tome conta do elenco do Coritiba às vésperas do jogo de amanhã contra o Criciúma, às 18h, no Couto Pereira.

Uma vitória simples leva o Coxa à Copa Libertadores, mas ela não virá na base do desespero e da obrigação.

O discurso da paciência começou cedo. Ainda na terça, quando conversou com todo o elenco pela primeira vez desde a rodada do final de semana, Bonamigo alertou para a empolgação generalizada. “O jogo será difícil, talvez o mais complicado da temporada, e é uma partida que vale muito para todos nós. Precisamos ter calma, porque nada está ganho”, comenta.

Ele sabe que a torcida se animou com a possibilidade da vaga na Libertadores, e 35 mil vozes deverão empurrar o Coxa amanhã. “Só que isso tem que ficar fora do estádio, e não aqui dentro”, resume. Nessa iniciativa entrou o presidente Giovani Gionédis, reeleito na quarta. “Não temos nada, porque não jogamos. Se vencermos o Criciúma, tudo bem, mas antes não pode existir o ?já-ganhou?”, alerta. “Não podemos esquecer o que aconteceu ano passado”, reitera o treinador, lembrando da partida contra o Figueirense, quando o espírito de vitória certa minou o time.

Para reforçar a mobilização, os jogadores já entraram em período de concentração na noite de ontem. Bonamigo também avisa que a partida tem que ser encarada como tal. “Nós não vamos ganhar nada só entrando em campo. Vamos ter noventa minutos para conseguir a vitória, e temos que pensar nesse tempo de jogo”, avisa.

Os atletas entenderam o recado. “Não adianta pensar que vamos matar o jogo no primeiro minuto. Temos que trabalhar o jogo todo, não descansar um instante e ter muita paciência, porque será uma partida muito difícil”, diz o centroavante Marcel. Colabora para isso o fato de o Criciúma estar jogando sua honra nas últimas partidas, tentando provar que não existiu ?armação? no jogo com o Grêmio.

E este pedido para os jogadores é extensivo à torcida. “Eu nem precisaria falar isso, porque nossos torcedores foram espetaculares neste ano, nos ajudando nos momentos mais difíceis. E eles precisam ter a consciência de que toda força que eles nos passam é muito importante”, finaliza Bonamigo.

Time

Como se previa, o técnico confirmou ontem a equipe sem surpresas. Roberto Brum e Edu Sales voltam ao time nos lugares de Pepo e Alexandre Fávaro, com o Cori formando com a equipe mais ?previsível?. “O pensamento é aquele que vocês sabem. Vamos contar com o entrosamento dessa formação, que é a que mais atuou no campeonato”, justifica.

Apoio de campeão mundial

Vão mexer com ele… Os jogadores do Coritiba receberam a visita de Vanderlei Silva, campeão mundial de vale-tudo, no treino de ontem. O lutador foi convocado pela comissão técnica para falar sobre o “espírito de campeão” que ele representa, segundo Paulo Bonamigo, e para motivar ainda mais os jogadores, que vivem uma semana das mais importantes de suas carreiras.

Só a chegada de Vanderlei já serviria como motivador, pois ele animou o elenco – as gargalhadas eram ouvidas ao longe. “Quando reúne um bando de homens, já vira confusão”, brincou o lutador, definitivamente integrado ao ambiente coxa. “Quando eu entrei, falei que ia pegar um. Mas tinha que ser grande. Aí vi um negão na minha frente, e era o Odvan. Quase chamei ele para uma briga”, contou.

Até mesmo Bonamigo se contagiou com as brincadeiras. Quando foi dito que era Vanderlei – declarado torcedor coxa – que o chamara de “retranqueiro”, o técnico alviverde não se fez de rogado. “Ele pode falar o que quiser, está liberado. É o nosso grande torcedor”, disse. O treinador até sugeriu que o lutador ‘conversasse’ com os jornalistas. “Tem repórter grande aqui, ele encara só gente grande”.

O campeão, que levou à tiracolo o cinturão de campeão do Pride (espécie de campeonato mundial de vale-tudo), também brincou ao dizer que entendia o porquê de ter sido convidado pela comissão técnica. “Acho que eles me chamaram por que eu não entendo muito de futebol”, disse.

Vanderlei conversou com os jogadores no centro do gramado do campo 4 do CT da Graciosa. “Não falei para eles serem campeões, porque isso eles já são. É um elenco de profissionais, de muita qualidade. Falei que o melhor é dar o máximo, e se possível dar um show”, resumiu. E ai de quem não fizer isso.

Brum devolve

O volante Roberto Brum resolveu reclamar ontem. Ele disse que há setores da imprensa que ?torcem contra? o Coritiba, e citou nominalmente o comentarista Barcímio Sicupira, da rádio Banda B, como exemplo. De volta à equipe, o “Senador” afirmou que vai citar mais nomes após o final do campeonato brasileiro.

Inquirido sobre possíveis nomes, o volante citou Sicupira. “Ele faz colocações sobre jogadores do Coritiba que não têm nada a ver.”

Para o comentarista, não há motivo para irritação. “Eu disse que o Coritiba precisa vencer, e se é esse o caso o Pepo poderia continuar jogando. Mas afirmei que, se o Bonamigo fosse coerente, o Brum tinha que voltar”, contou Sicupira, que não quis comentar o teor das declarações do jogador coxa.