Pouco menos de um ano depois de amargar o rebaixamento no Campeonato Brasileiro, o atacante Vinícius se vê a poucos dias da possibilidade de recolocar o Palmeiras na elite. Formado na base do clube, o jogador espera “lavar a alma” e ver o pesadelo da Série B acabar. Se puder balançar a rede e deixar sua marca em um jogo histórico como esse, melhor ainda.

“Comentei com o meu pai que vou lavar a alma. Estava no time quando caiu. O Pacaembu vai estar lotado, torcida fazendo a festa e vai ser um passo muito importante na minha carreira. Estou muito ansioso”, declarou. “Seria o maior presente fazer o gol do acesso. Mas independentemente disso fazer o gol e sair vitorioso é o mais importante.”

Com 68 pontos, o Palmeiras é o líder disparado da Série B, nove pontos à frente do segundo colocado, Chapecoense, e 18 à frente do quinto, Avaí. Por isso, garantirá a volta à elite se vencer o São Caetano no sábado, no Pacaembu. E Vinícius não esconde quem, para ele, é o principal responsável pela boa campanha da equipe na competição: o técnico Gilson Kleina.

“Desde que chegou, ele (Kleina) foi muito importante para mim, eu não estava jogando. Ele contou comigo, me colocou para jogar e me deu sequência. O trabalho dele neste ano foi muito bom, ele conseguiu fazer um grupo muito unido. Jogadores mais experientes falam que nunca viram um grupo assim, todo mundo brinca. Ele abraçou todo mundo, é um cara super do bem e que nós gostamos muito”, disse.