Horas depois da revelação de um vídeo, na qual foi flagrado conversando com torcedores e disse que Ronaldinho Gaúcho já estava afastado do Flamengo por ter faltado, sem dar justificativa. à viagem que o elenco do time fez à Teresina na noite da última quarta-feira, o vice-presidente de futebol do Flamengo, Paulo Cesar Coutinho, recuou nesta quinta. Ele admitiu que exagerou ao falar da situação, na última madrugada, na porta do hotel onde a equipe está hospedada na capital piauiense, e até se desculpou com a presidente Patricia Amorim.

Na conversa com os torcedores, que acabou sendo registrada por um deles, o dirigente reclamou do fato de Ronaldinho sequer ter ligado ou atendido o seu telefone para explicar a sua ausência do embarque rumo à Teresina, onde o Flamengo fará um amistoso contra a seleção do Piauí, nesta quinta, às 19h30. Coutinho ainda disse que chegou a falar com Patricia Amorim ao confirmar o afastamento do meia-atacante aos torcedores, mas mudou o seu discurso nesta quinta.

Ao saber do ocorrido, o diretor de futebol do Flamengo, Zinho, admitiu que Ronaldinho não agiu da maneira certa, mas condenou a atitude de Coutinho, o qual endossou as palavras do ex-jogador. “De fato, o Zinho está certo, acabei descendo da minha posição de vice-presidente do futebol e me tornei torcedor do Flamengo, exagerei. Como o Zinho mesmo disse, um erro não justifica o outro. Eu realmente errei”, disse o vice de futebol flamenguista.

Em seguida, Coutinho se desculpou publicamente por ter envolvido o nome de Patricia Amorim no suposto afastamento, agora negado, de Ronaldinho. “Quero pedir desculpas a minha presidente por ter usado o nome dela. Na verdade eu não tinha falado com ela. Apenas fiquei triste com a situação alguns torcedores, que queriam ver o Ronaldo aqui. Senti que tinha de dar alguma satisfação para eles, mas me excedi, exagerei”, repetiu.

Zinho, por sua vez, anunciou que irá se reunir com o craque nesta sexta-feira, na sede do Flamengo, e prometeu tomar alguma atitude em relação à situação do jogador, que terá de se explicar. “São muitos ruins todos estes episódios, mas vim aqui para falar que estamos atentos a tudo, estamos sendo bem honestos. O Coutinho admitiu que exagerou um pouco e falou como torcedor, mas um erro não justifica o outro. Com certeza vamos nos reunir com o Ronaldinho na sexta-feira e iremos resolver essa situação”, disse o dirigente.

Ronaldinho não participou de nenhum dos treinos realizados entre segunda e quarta-feira, mas as faltas aconteceram com o consentimento do clube, pois o jogador alegou que estava em Porto Alegre para amparar a sua mãe, dona Miguelina, que se recupera de uma cirurgia. Entretanto, a presença de Ronaldinho era esperada para a viagem até o Piauí, mas ele não apareceu e não participará do amistoso desta quinta.

O fato, porém, é que o Flamengo tem uma dívida com Ronaldinho de cerca de R$ 5 milhões em salários atrasados e direitos de imagem. A suposta falta de profissionalismo do jogador poderá causar o rompimento de seu contrato, mas o alto valor que teria de pagar ao atleta com o fim do acordo poderá inviabilizar essa possível decisão.