O alemão Sebastian Vettel deu mais um passo neste fim de semana para conquistar o tetracampeonato mundial da Fórmula 1. Neste domingo, o piloto da Red Bull venceu com facilidade o GP da Itália, a 12ª etapa da temporada 2013, realizada no circuito de Monza, e disparou na liderança do campeonato ao obter o seu sexto triunfo neste ano.

A vitória deste domingo confirmou o domínio completo de Vettel do fim de semana do GP da Itália. Piloto mais rápido nos treinos livres de sexta-feira, o alemão garantiu a pole position no sábado e venceu a corrida neste domingo, sem ter a liderança ameaçada em qualquer momento no circuito de Monza.

Principal concorrente de Vettel na luta pelo título mundial, Alonso terminou o GP da Itália na segunda posição, colocando a Ferrari no pódio na sua corrida caseira. O australiano Mark Webber, da Red Bull, garantiu o terceiro lugar, seguido pelo brasileiro Felipe Massa, que chegou a ocupar a vice-liderança, mas teve que se contentar com a quarta colocação.

Com o resultado, Vettel conquistou a 32ª vitória na sua carreira, sendo a terceira em Monza, e aumentou a sua vantagem na liderança do Mundial de Pilotos. O alemão chegou aos 222 pontos, com 53 de vantagem para Alonso, que soma 169. O inglês Lewis Hamilton é o terceiro colocado, com 141 pontos, sete a mais do que o finlandês Kimi Raikkonen e 11 a mais do que Webber, o quinto colocado. Já Massa está em sétimo lugar, com 79 pontos.

Além de Vettel, a Red Bull também disparou no campeonato com a vitória deste domingo. A equipe austríaca ocupa a primeira colocação no Mundial de Construtores, com 352 pontos, enquanto a Ferrari subiu para o segundo lugar, com 248 pontos, três a mais do que a Mercedes.

A CORRIDA – A previsão de chuva durante a prova no circuito de Monza não se confirmou e o que se viu foi uma corrida sem fortes emoções, completamente dominada por Vettel. O piloto alemão sustentou a liderança na largada do GP da Itália, enquanto Massa subiu duas posições, assumindo a segunda colocação, logo à frente de Webber – um dos pilotos ultrapassados pelo brasileiro -, que foi seguido por Alonso e Nico Hulkenberg, que havia sido o terceiro mais rápido no treino de classificação.

Com ritmo agressivo, Alonso ultrapassou Webber logo na terceira volta do GP da Itália para assumir o terceiro lugar. Em seguida, o espanhol passou a perseguir Massa, que trocou de motor antes da corrida, mas apresentou bom ritmo durante toda a prova. E, na oitava volta, o espanhol assumiu a vice-liderança do GP da Itália ao ultrapassar o seu companheiro de equipe na Ferrari.

Alonso, porém, já estava distante do líder Vettel quando ultrapassou Massa. E a situação não se alterou após a primeira série de pit stops, mesmo que o espanhol tenha atrasado a sua primeira parada nos boxes. Assim, o alemão se manteve na liderança, seguido pelo piloto da Ferrari.

Massa, porém, perdeu a terceira colocação durante os pit stops para Webber, que o vinha pressionando antes mesmo da ida dos pilotos para os boxes. O australiano parou antes do brasileiro, adotou ritmo forte e subiu para o terceiro lugar.

Depois disso, o panorama não se alterou nas primeiras colocações. Assim, sem ser pressionado e poupando equipamento nas voltas finais, Vettel cruzou a linha de chegada na primeira colocação, garantindo a vitória no GP da Itália, que o deixou mais perto de faturar seu quarto título mundial.

Alonso conseguiu se defender bem dos ataques de Webber e garantiu o segundo lugar, logo à frente do australiano e de Massa, o quarto colocado. Surpresa do treino de classificação, Hulkenberg, da Sauber, terminou o GP da Itália na quinta colocação, seguido pelo compatriota Nico Rosberg, da Mercedes, em sexto.

O australiano Daniel Ricciardo, da Toro Rosso, o francês Romain Grosjean, da Lotus, e os ingleses Lewis Hamilton e Jenson Button, da Mercedes e da McLaren, respectivamente, completaram as 10 primeiras colocações da prova no circuito de Monza.

O GP de Cingapura será a próxima etapa do campeonato da Fórmula 1 e está marcado para o dia 22 de setembro, no circuito de Marina Bay.

Confira o resultado final do GP da Itália:

1º. Sebastian Vettel (ALE/Red Bull) – 53 voltas em 1h18min33s352

2º. Fernando Alonso (ESP/Ferrari) – a5s467

3º. Mark Webber (AUS/Red Bull) – a 6s350

4º. Felipe Massa (BRA/Ferrari) – a 9s361

5º. Nico Huelkenberg (ALE/Sauber) – a 10s355

6º. Nico Rosberg (ALE/Mercedes) – a 10s999

7º. Daniel Ricciardo (AUS/Toro Rosso) – a 32s329

8º. Romain Grosjean (FRA/Lotus) a 33s1

9º. Lewis Hamilton (ING/Mercedes) a 33s5

10º. Jenson Button (ING/McLaren) a 38s3

11º. Kimi Raikkonen (FIN/Lotus) a 38s6

12º. Sergio Pérez (MEX/McLaren) a 39s7

13º. Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber) – a 40s8

14º. Pastor Maldonado (VEN/Williams) – a 49s0

15º. Valtteri Bottas (FIN/Williams) – a 56s8

16º. Adrian Sutil (ALE/Force India) – a 1 volta

17º. Charles Pic (FRA/Caterham) – a 1 volta

18º. Giedo van der Garde (HOL/Caterham) – a 1 volta

19º. Jules Bianchi (FRA/Marussia) – a 1 volta

20º. Max Chilton (ING/Marussia) – a 1 volta

Não completaram:

Jean-Eric Vergne (FRA/Toro Rosso)

Paul di Resta (ESC/Force India)