Depois da vitória por 2 a 1 sobre o México, conquistada na tarde deste domingo, no Castelão, em Fortaleza, o treinador da Holanda, Louis van Gaal, disse não aceitar que sua seleção será a favorita nas quartas de final, seja contra a Grécia, seja contra a Costa Rica. Estas duas seleções se enfrentam ainda neste domingo, às 17 horas, na Arena Pernambuco, em Recife.

“A mídia holandesa achava que não passaríamos da primeira fase. Não acredito que sejamos (favoritos). O grupo é muito modesto e vai continuar nessa estrada. Nosso adversário será muito difícil. Não importa se Grécia ou Costa Rica”, disse o técnico, para quem a adoção de “um plano B” após o período de hidratação, aos 30 minutos do segundo tempo, ajudou a Holanda a reverter o placar adverso.

O “plano B” de Van Gaal consistiu na colocação de Huntelaar e Kuyt dentro da área, com Depay aberto na esquerda e Robben, na direita. A seleção holandesa assumiu, então, um 4-2-4, para pressionar os mexicanos.

Depois do empate de Sneidjer, aos 43 minutos, ele voltou a recuar Kuyt, fechando o meio de campo. Mas Robben entrou e pela direita sofreu a falta de Rafa Márquez, dentro da área. “Robben, é claro, forçou o pênalti”, disse Van Gaal, referindo-se não a uma simulação por seu principal atacante, mas à insistência do jogador em ir para cima dos adversários e tentar driblá-los.