Louis Van Gaal estava mal-humorado na entrevista coletiva deste domingo, no Itaquerão. O técnico da Holanda interrompeu a série de perguntas dos jornalistas na véspera da partida contra o Chile, pela Copa do Mundo, para criticar a imprensa holandesa e a regra da Fifa que obriga treinadores e jogadores a terem contato com os repórteres nos dias que antecedem os jogos.

“A Fifa, no alto da sua sabedoria máxima, decidiu fazer uma entrevista coletiva antes dos jogos. Os jogadores precisam, na verdade, ter sempre foco, principalmente no treino”, disse Van Gaal. Pela regra da entidade, as equipes precisam levar para a coletiva, além do técnico, um jogador da equipe – neste domingo, o escolhido foi o zagueiro Bruno Martins Indi, que não vai atuar diante do Chile.

Bruno Martins Indi bateu a cabeça no gramado na partida contra a Austrália e chegou a passar a noite hospitalizado em observação – desde então, tem feito apenas atividades leves. Os médicos holandeses estão cuidadosos para prever o retorno do jogador. “Ele veio dar entrevista mais pelo bem do grupo do que dele mesmo. Os demais jogadores têm de se concentrar no treino. O Indi tem a lesão mais grave e vir falar com os jornalistas é uma espécie de distração para ele”, disse Van Gaal.

O técnico criticou a imprensa holandesa, que, segundo ele, tem prejudicado a concentração dos jogadores. No último sábado, a equipe fez um treino secreto no Pacaembu, mas que foi acompanhado por torcedores e jornalistas. “A mídia da Holanda fica tentando descobrir informações e não entendo isso. Eles poderia colaborar, mas o que têm feito só atrapalha a nossa equipe”, lamentou Van Gaal.