Foto: Valquir Aureliano

Vadão orienta o lateral-direito Jancarlos no CT do Caju.

O técnico Oswaldo Alvarez atingirá uma marca expressiva na partida de amanhã, contra o Paranavaí, na Arena. Vadão completará 150 jogos como treinador do Atlético, em três passagens pelo clube. Ele comandou o Furacão entre 1999 e 2000, em 2003 e retornou no ano passado.

Vadão chegou à Baixada pela primeira vez em julho de 1999. Sua primeira partida foi uma derrota de 2 a 1 para o Grêmio, em Porto Alegre, pelo Brasileirão. Desde então, já foram 149 jogos, com 75 vitórias, 35 empates e 42 derrotas. Um aproveitamento de 56,15%.

Para o treinador, o número é um atestado da qualidade do trabalho apresentado à frente do Furacão. ?Eu fico muito satisfeito, porque este número mostra confiança de ambos os lados. A diretoria sempre acreditou em mim e eu tenho um grande prazer de trabalhar no Atlético. Acho que 150 jogos como treinador, no Brasil, é um número considerável?, afirma.

De todos os jogos em que dirigiu o Rubro-Negro, um é especial para Vadão. ?O mais marcante foi a classificação para a Libertadores, em 1999. Nós ganhamos de 3 a 0 do Cruzeiro, aqui, e no jogo final, no Mineirão, embora o time tenha perdido, jogou muito bem. Foi uma conquista inédita, muito importante para o Atlético?, recorda.

O pior momento viria no ano seguinte. ?Foi a eliminação da Libertadores, contra o Atlético-MG (oitavas-de-final). Estávamos ganhando de 2 a 0 até o finalzinho. Tomamos o gol, foi para os pênaltis e perdemos. Foi uma grande tristeza, porque a equipe estava muito bem preparada?, lamenta Vadão.

?Era Petraglia?

Entre alegrias e frustrações, Oswaldo Alvarez é o treinador que mais comandou o Atlético na ?Era Petraglia?, iniciada em 1995. Além da seletiva da Libertadores, conquistou também o Paranaense de 2000, após derrotar o Coritiba na primeira decisão da Arena.

A explicação para a longevidade no comando do Furacão, Vadão encontra na estabilidade administrativa do clube. ?Embora alguns dirigentes da minha primeira vez tenham saído, a maioria da diretoria continua. Então criou-se essa afinidade?, conclui.

Vermelhinho entalado

Para vingar as duas derrotas sofridas diante do Paranavaí no Paranaense, o Atlético vai contar com as voltas de quatro titulares amanhã. O goleiro Cléber, os meias Evandro e Ferreira e o atacante Alex Mineiro, que desfalcaram o time na última quarta-feira, estão de volta e são a esperança de mais uma grande atuação rubro-negra.

O Furacão só terá um desfalque. O volante Erandir recebeu o terceiro cartão amarelo na derrota de 1 a 0 para o Vermelhinho e está suspenso. Seu substituto será o jovem Roberto, da seleção brasileira sub-20. ?Para mim isso representa muito e estou trabalhando firme. Tenho um objetivo esse ano e espero me firmar na equipe?, avisa.

Será a primeira partida de Roberto, 19 anos, como titular da equipe principal do Atlético. Na 1.ª fase ele participou da vitória de 3 a 0 sobre o Cianorte, jogando pelo Ventania.

Com o retorno dos titulares, o técnico Vadão deixa de lado a formação com três zagueiros e volta ao 4-4-2. ?Só mudamos em virtude dos desfalques que a equipe sofreu. Agora, volta ao normal, com o Evandro e o Ferreira no meio. Vamos precisar de muita movimentação, porque o Paranavaí joga retrancado, com só um atacante?, alerta o treinador.

Reservas do Furacão fazem segundo amistoso contra FC Dallas

O Atlético encara hoje mais um duelo contra seu parceiro norte-americano, o FC Dallas. Às 21h30 (de Brasília), no Pizza Hut Park, em Frisco, nos Estados Unidos, o Rubro-Negro enfrenta o clube texano pelo segundo jogo do Desafio EUA-Brasil.

A primeira partida, disputada na Baixada, foi vencida pelo Furacão por 3 a 1.

Ontem, os jogadores atleticanos fizeram um treino de reconhecimento no local da partida desta noite. Sem os titulares, que ficaram no Brasil para as disputas do estadual e da Copa do Brasil, o Atlético vai a campo com uma formação totalmente diferente da que atuou na partida da Baixada.

Apenas os laterais Stanley e Edimar, e os atacantes Paulo Rink e Dayro Moreno, que entraram no segundo tempo na primeira partida, estarão em campo no Texas. O zagueiro Alex, que enfrentou o Cianorte na rodada dupla do dia 7 de março, diz estar empolgado com a chance de jogar hoje. ?Todos querem uma oportunidade e eu não sou diferente. Também quero agarrar a minha?, avisa.

Tudo contra

A expectativa é de muita dificuldade esta noite. ?Jogando em casa, eles vão querer devolver a derrota que sofreram na Arena. Vamos ter que nos adaptar ao estilo deles. Tudo é diferente, o juiz, a torcida, vai ser tudo contra. Por isso, temos que estar atentos e buscar fazer o melhor?, afirma Alex.

Será a segunda vez que o Rubro-Negro atuará em gramados norte-americanos.

No dia 1.º de outubro de 2003, o time da Baixada perdeu por 1 a 0 para o Monterrey, do México. O jogo foi no estádio Cotton Bowl, em Dallas.

O jogo entre Dallas e Atlético será transmitido, ao vivo dos EUA, pela TV Educativa. A emissora reprisa a partida amanhã, às 11h.