Um gol mudava tudo. E a última rodada do Campeonato Paranaense foi se transformando a cada bola na rede. A ponto de os gols acontecidos nos estádios influenciarem nos outros estádios. Afinal, não fosse o gol do Rio Branco, marcado por Ramón nos últimos minutos da partida na Estradinha, o Atlético não estaria classificado para as quartas de final.

O primeiro gol da rodada foi em Toledo. Foi de Marquinhos, do Cascavel. Contratado faltando três jogos para o final da primeira fase, foi uma das cartadas arriscadas da Serpente para tentar primeiro escapar do rebaixamento, e depois garantir a classificação. Deu muito certo. Vindo da Bulgária, marcou dois gols, um deles nesta quarta-feira (29), no Clássico da Soja, o que abriu a vitória por 2×0 sobre o Toledo – resultado que garantiu o Cascavel no mata-mata contra o Coritiba e rebaixou o Toledo, que perdeu as últimas seis partidas do Estadual.

Nos primeiros 45 minutos da “superquarta”, apenas mais um gol saiu, o de Carlos Henrique para o PSTC. Foi o último momento de glória do time de Cornélio Procópio na elite do futebol paranaense, pois só um milagre matemático salvaria a equipe. E como era de se esperar, ele não aconteceu. Restou ao time de Reginaldo Vital terminar o campeonato vencendo o J. Malucelli, que terminou em quarto e agora pega o Londrina nas quartas.

Na etapa final, gols em Londrina e na Vila Capanema. E gol do veterano Edson Gaúcho em Prudentópolis. Foi o lance da classificação do Prude, que acabou se garantindo para enfrentar o próprio Cianorte nas quartas de final. Os dois times que vieram da segunda divisão brilharam e se classificaram com muito mérito.

E o drama ficou para Paranaguá, com conexão com a Vila Capanema. O empate entre Rio Branco e Foz do Iguaçu classificava o Foz e eliminava o Atlético. Mas aí Ramón acertou o gol de Juninho, colocou o Leão da Estradinha na frente do time da Fronteira na classificação e salvou o Furacão, que segurou no laço a última vaga no mata-mata do Paranaense.

Mas…

Nesta quinta-feira (30) tudo pode mudar. PSTC, Foz, Rio Branco, Cascavel e Toledo pediram ao Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-PR) a suspensão do Campeonato Paranaense até que o julgamento do Caso Getterson aconteça no Superior Tribunal de Justiça Desportiva. Como o tema não está na pauta do STJD, se o TJD aceitar o pedido dos clubes, o campeonato para e não teremos jogos no final de semana.
Se o STJD decidir tirar os 16 pontos do Jotinha (que o tribunal paranaense tirou e depois devolveu), o Caçula ficaria com três pontos, seria rebaixado junto com o PSTC, o Toledo se salvaria e o mata-mata teria os seguintes confrontos: Paraná x Rio Branco, Coritiba x Atlético, Cianorte x Cascavel e Londrina x Prudentópolis.