A Uefa vai abolir os amistosos entre suas seleções e está prestes a causar um terremoto no calendário internacional do futebol. A entidade anunciou que, a partir de 2018, vai criar uma Liga das Nações, uma competição entre seleções que irá durar todo o ano e que será disputada justamente nas datas que a Fifa reserva para amistosos pelo mundo.

Os organizadores dos jogos do Brasil e a CBF já temem importantes prejuízos para suas contas. À reportagem, um alto dirigente da Uefa confirmou nesta segunda-feira na condição de anonimato: “A Europa não quer mais amistosos”.

A partir de setembro de 2018, os 52 países da Europa serão repartidos em quatro divisões e quatro seleções estarão classificadas diretamente para a Eurocopa de 2020. Cada time jogará cerca de seis partidas em fases iniciais, até que haja uma semifinal e final do torneio disputadas em junho de 2019. Sempre em datas que eram reservadas para amistosos pelo mundo.

A demonstração de força da Europa vem em um momento único para o continente. As três últimas Copas foram vencidas por seleções europeias e, no Mundial no Brasil, mais de 75% dos jogadores atuavam em clubes europeus. A Liga dos Campeões se transformou no evento mais rentável do futebol e, diante da crise de corrupção na Fifa, patrocinadores já avaliam concentrar suas estratégias apenas na Uefa.

Em um comunicado, a entidade europeia deixou claro agora que a meta é a de acabar com os amistosos e substituir as datas Fifa por um torneio real entre as seleções do continente. “O que levou a criação da Liga das Nações é a integridade do esporte, já que cada vez mais as federações, treinadores, jogadores e torcedores consideram os amistosos como eventos que não garantem uma competição esportiva adequada”, indicou a Uefa.

Em outras palavras: os amistosos se transformaram em meros instrumentos para fazer dinheiro, sem qualquer compromisso esportivo. Em 2013, a reportagem já havia revelado como os amistosos da seleção brasileira eram usados para desviar recursos para cartolas. Além disso, em diversas partidas, os lucros são os únicos fatores que determinam os jogos. Ao criar uma competição, a Uefa também impede que seleções combinem resultados, com vistas a lucros em casas de apostas.

BRASIL – O novo torneio apenas será disputado em anos pares. Mas a iniciativa promete criar um obstáculo real ao Brasil se quiser disputar amistosos com times europeus. Hoje, os amistosos estão entre os principais mecanismos para a captação de recursos da CBF e todo o planejamento de marketing também está baseado nessas “aparições” da seleção.

Isso porque a Uefa vai colocar esses jogos nos dias determinados pela Fifa para amistosos. Na prática, os europeus decidiram que apenas jogarão entre eles e as disputas com seleções de outros locais do mundo ocorrerão apenas em competições oficiais.

O Brasil terá sérios problemas para organizar amistosos contra europeus, mesmo diante das equipes menos badaladas, e terá de se contentar em jogar contra africanos, asiáticos, e times das Américas.

Fontes da Pitch Internacional, entidade que tem o direito de organizar os amistosos do Brasil até 2022, confirmaram à reportagem a preocupação com a nova organização do calendário internacional.

Desde 2006, 80% dos amistosos do Brasil ocorrem na Europa. Isso por conta da facilidade de levar os jogadores convocados aos locais de treinamento e permitir que o treinador tenham um elenco mais descansado. A partir de 2018, os jogadores vão até estar descansados. Mas vai faltar adversário.