O Paraná Clube de Ricardo Pinto vem se mostrando um time muito mais eficaz no segundo tempo dos jogos. Pelo menos é isso que indica o volume de gols. Em seis jogos, o time mantém a média de dois gols por partida, mas onze deles foram marcados na fase final das partidas. “Mostra que o time é persistente”, ressalta o treinador.

Indagado sobre uma possível dificuldade para balançar as redes no início dos jogos, Ricardo Pinto demonstrou tranquilidade. “É claro que é sempre bom ir logo marcando, mas se estamos fazendo os gols na fase final dá tranquilidade para os meninos não se desesperarem quando o primeiro tempo termina zero a zero”, ressaltou.

O volume maior de gols do Tricolor “versão” Ricardo Pinto, ocorre na reta final dos jogos. Cinco gols foram marcados após os 30 minutos do 2.º tempo, três após os 15 minutos e outros três logo no início das etapas finais.

A única vez que o Paraná marcou um gol no primeiro tempo foi logo na estreia do treinador, frente ao Gurupi, pela Copa do Brasil. O autor da “façanha” foi o centroavante Renato, que por conta de uma lesão não foi utilizado nas rodada recentes.

“O mais importante é que o time vem mostrando um bom equilíbrio. Neste último jogo (frente ao Roma), por exemplo, acho que jogamos muito mais no primeiro tempo”, lembrou. “Acho até que foram os melhores 45 minutos desde que cheguei. Mas temos um grupo jovem e o time ainda está em formação”, arrematou Ricardo Pinto, acreditando numa evolução natural do Paraná, que ainda tem sete jogos pela frente no Campeonato Paranaense.