No fio da navalha. Assim tem sido a vida do Paraná Clube na Série B. Hoje – às 16h10, no Giulitte Coutinho (Mesquita-RJ) -, não será diferente. Uma vitória pode valer ingresso no G10, posição que o clube não ostenta desde 2007 (no ano passado, a melhor posição foi um modesto 11.º lugar), quando foi rebaixado para a Segundona.

Porém, no caso de novo revés, o Tricolor voltará a conviver com o fantasma do rebaixamento para a Série C. Um quadro que exige resposta imediata de um grupo que fraquejou diante do ABC-RN e agora precisa, obrigatoriamente, repor os pontos perdidos em casa.

“Não dá pra fugir disso. É um jogo que define nosso rumo na competição”, admite o volante Rai, escolhido pelo técnico Sérgio Soares para suprir a ausência do capitão Adoniran. “A responsabilidade é grande, mas estou tendo a chance e quero me firmar entre os titulares. Não vou só jogar por jogar”, promete o volante de 24 anos, contratado junto à Portuguesa com a missão de “alavancar” sua carreira. “Considero essa a minha estreia. Respeito aqueles que vêm jogando, pois são jogadores de qualidade. Mas, não vou me contentar em ser apenas um suplente. Quero jogar”, avisou.

E, para isso, Rai não faz distinção quando às funções que exercerá. Na teoria, ficará mais fixo à marcação, como um primeiro volante.

“Só que se precisar, posso avançar também. Gosto muito de arrematar de média e longa distância”, comentou.

Uma situação que poderá não ser tão frequente. Pelo menos pelo que se viu dos últimos jogos de Adoniran.

Quando o sistema era o 4-4-2, ele se aventurava ao ataque e fez dois belos gols (contra Juventude e Ceatá).

Mas, no 3-5-2, o primeiro volante ficou fixo ao sistema de defesa, ousando raras investidas ao ataque.

A entrada de Rai é apenas uma das quatro alterações na equipe (não confirmadas pelo “misterioso” Sérgio Soares).

O experiente Dedimar faz a sua estreia como líbero, Davi retorna após cumprir suspensão e Wellington Silva entra no ataque. Esta mudança só foi definida na manhã de ontem, quando Alex Afonso foi vetado pelo departamento médico (fadiga muscular).

Uma quinta mudança poderá ocorrer na zaga, com Aderaldo reaparecendo entre os titulares. Ele chegou a treinar no time de cima no apronto, pois Gabriel foi poupado. Com o titular recuperado de um desconforto na coxa direita, Sérgio Soares pode formar o novo trio defensivo com Gabriel, Dedimar e Aderaldo.