O Paraná Clube tenta não apenas recuperar os pontos perdidos em casa, mas dar seqüência ao bom desempenho na condição de visitante. Contra o São Caetano – às 16h10, no Anacleto Campanella – o time de Rogério Perrô corre atrás da terceira vitória seguida fora de seu território.

Os recentes triunfos sobre Criciúma e Brasiliense garantiram um afastamento da zona de rebaixamento e em caso de sucesso, hoje, o Tricolor pode fechar a rodada entre os dez melhores da Série B.

São Caetano e Paraná Clube viveram trajetórias semelhantes desde que foram fundados, em 1989. Estiveram entre os grandes, disputaram Libertadores da América e caíram. Na história, um grande equilíbrio, com ligeira vantagem para o clube paulista (5 vitórias, contra 4 dos paranaenses e 4 empates). Porém, nos jogos decisivos, a festa foi do Tricolor. Em 2000, o título da Copa João Havelange foi conquistado em cima do Azulão: 3×1, em pleno Palestra Itália.

Já em 2006, foi uma vitória sobre o São Caetano (2×0) que praticamente assegurou a classificação do Paraná para a Libertadores, rebaixando o clube paulista. Esta aliás, foi a única vitória do Tricolor no Anacleto Campanella. Nos outros quatro jogos realizados no estádio, um empate e três vitórias dos paulistas.

“Acredito que nosso momento é bom, independente da derrota para o Corinthians. Temos que manter aquilo que vínhamos fazendo, com um pouco mais de atenção”, comentou o técnico Rogério Perrô.

Com uma mudança relativamente simples – a troca do volante Naves pelo meia Gláucio -, o treinador espera tornar seu time mais contundente no ataque. “A idéia é termos um time mais compacto, avançando as linhas de marcação e apostando na mobilidade dos meias e atacantes”, explicou.

A confirmação de Gláucio ocorreu somente às 19h, quando a CBF enfim disponibilizou o Boletim Informativo Diário (BID) contendo nomes de jogadores que vinham de transferências internacionais.

Experiente, Gláucio (32 anos), entra no time com a missão de melhorar o toque de bola e as assistências. “Sei que o grupo é jovem e entro para tentar dar uma cadência ao time”, comentou o jogador. Gláucio foi um dos destaques no amistoso diante do Blumenau e hoje faz seu primeiro jogo oficial com a camisa tricolor.

Com um contrato de apenas quatro meses, é a aposta da diretoria para “turbinar” o Tricolor na busca pelas primeiras posições. Gláucio atuará ao lado de Léo com a missão de municiar o trio ofensivo formado por Giuliano, Éverton e Marcelinho.

Perrô, diante do momento instável dos atacantes do elenco, aposta na velocidade e na mobilidade como forma de compensar a ausência de um centroavante de referência.

“Acredito que vamos chegar à frente com maior intensidade e precisão, com esta formação. Mais para frente, não descarto a possibilidade de passar a jogar com dois atacantes natos”, arrematou Perrô, que já começa a pensar em uma alternativa para a futura ausência de Guiuliano, que a partir do dia 12 estará seguindo para a seleção sub-19.

BRASILEIRO
SÉRIE B – 15ª RODADA
SÃO CAETANO X PARANÁ
SÃO CAETANO

Júlio César; Leonardo, Lino e Tóbi; Júlio Farias, Glaydson, Hernani (Daniel), Gerson e Éverton Ribeiro; Vandinho e Luan (Caiuby).
Técnico: Guilherme Macuglia.
PARANÁ
Gabriel; Claudemir, Ricardo Ehle, Luciano e Rogerinho; Agenor,
Léo, Gláucio e Giuliano; Éverton e Marcelinho.
Técnico: Rogério Perrô.
SÚMULA
Estádio:
Anacleto Campanella (São Caetano do Sul).
Horário: 16h10.
Árbitro: Adriano Pereira Machado (RJ).
Auxiliares: Ma,rco Aurélio Pessanha (RJ) e Marcelo Braz Mariano (RJ).