O Paraná Clube pôs fim ao jejum de vitórias em casa. Contra o já rebaixado Nacional, o time de Marcelo Oliveira fez 2×0, subiu mais dois postos na classificação e segue na luta para fechar a fase com o 3.º lugar.

O Tricolor atingiu a marca de oito jogos de invencibilidade. Só que ainda não foi desta vez que os paranistas viram seu time atuando de uma forma linear e confiável, visando a sequência de decisões que virá pela frente, entre Estadual e Copa do Brasil.

Ontem, o que se viu foram as oscilações que já vêm sendo uma marca dessa equipe. Seja pela juventude do grupo ou pelas limitações técnicas, não foi desta vez que o Paraná “encheu os olhos” de seu torcedor.

O início foi marcado pela sonolência. Marcelo Oliveira foi ao desespero na beira do campo ao ver a equipe sem qualquer poder de fogo. Um marasmo que se estendeu por quase quinze minutos.

Aos poucos, o Paraná enfim conseguiu encurralar o adversário e aí os gols não tardaram. Primeiro, aos 30 minutos, Diego Correa escorou de “peixinho” o escanteio cobrado por João Paulo. Na saída de bola, João Paulo lançou Toscano e o artilheiro entrou livre para encerrar o jejum de gols no Paranaense.

Com a vantagem, a expectativa era por uma goleada. Espaços para isso, o Paraná teve. Porém, o que se viu, mais uma vez, foi a falta de inspiração de vários jogadores.

Nessa toada, o jogo se arrastou até o apito final de Ricardo de Lima Lagnani. Após quatro jogos (uma derrota e três empates), o Paraná voltou a vencer na Vila Capanema.

“Devíamos isso ao nosso torcedor. Agora, é pensar na Copa do Brasil”, arrematou o capitão Luís Henrique, já voltando atenções para o primeiro confronto com o Sport, pela segunda fase da competição nacional.