Sete dias de intervalo entre os jogos, somente após a Copa do Mundo. A partir de hoje, serão quatro jogos em apenas onze dias, uma maratona onde o prêmio pode ser a confirmação do momento de ascensão do Tricolor.

A defesa sólida que já é a menos vazada, com um gol sofrido, ao lado do América-MG deixou de ser a única virtude do Paraná Clube. Afinal, com os seis gols marcados em casa, o time de Marcelo Oliveira só não balançou as redes mais vezes do que a Lusa, que tem 7.

“O time ganhou muito com a chegada dos reforços. Agora, marcamos forte, mas chegamos à frente com qualidade”, destacou o volante Chicão. “Só não podemos relaxar. A competição é longa e queremos ir para o recesso da Copa numa boa colocação”, disse.

Hoje em 5.º lugar, o Paraná espera finalizar esses sete jogos ao menos no G4. “Trabalhamos com 13 pontos, pelo menos. Como disse o professor, esta semana é decisiva”, emendou Chicão, numa referência os jogos contra Duque e Vila Nova.

Depois desses jogos, o Tricolor ainda vai ao Recife, encarar o Sport, e fecha o ciclo em casa, contra a Portuguesa. “Não tem jogo fácil. Por isso, temos que comemorar cada vitória, cada ponto”, afirmou o artilheiro Leandro Bocão.

“Agora, não temos mais tempo para treinar. Serão jogos atrás de jogos e qualquer detalhe terá que ser corrigido na conversa. Nesse momento, descanso e boa alimentação é o que precisamos. E vitórias, é claro”, finalizou Bocão.