Foto: Jorge Gontijo/Estado de Minas

Paraná dominou o jogo, mas pecou nas finalizações. Foram várias chances claras de gol desperdiçadas.

Foi sofrido de novo. E o pior para o torcedor do Paraná Clube foi que ficou claro que a partida de ontem, no Mineirão, poderia ter um final muito melhor caso o time não perdesse tantos gols. O empate em 0x0 com o Atlético-MG deixou o Tricolor estancado no Campeonato Brasileiro, e com a obrigação de vencer os quatro jogos que restam para conseguir permanecer na Série A.

O Paraná chegava para o jogo motivado pela absolvição do clube no ?Batistagate?, o presidente afastado foi punido, mas era outra história. Além disso, vinha de vitória, o que não acontecia há tempos, e praticamente com o mesmo time que derrotou o Internacional no domingo. Do outro lado, o Galo tinha desfalques, mas contava com a força da torcida no Mineirão, que de tão importante teve o número 12 (o que constantemente é ?reservado? à galera) aposentado pela diretoria.

Em campo, festa para a confirmação do Brasil como sede da Copa do Mundo de 2014. Nas arquibancadas, uma faixa: ?A Federação Mineira parabeniza a CBF pela Copa?. No peito da camisa do Atlético-MG, o símbolo do evento. Em resumo, toda ajuda para o Galo seria bem-vinda. Isso ficou claro logo a três minutos, quando Neguete cabeceou, Coelho tirou quando a bola estava entrando. Um lance polêmico e, na dúvida, vantagem dos donos da casa.

Depois dessa, o Paraná teve outras cinco oportunidades tão ou mais claras. Adriano, Vandinho e Jumar (disparado o melhor do primeiro tempo) tiveram chances incríveis. Uma, inacreditável, foi de Vandinho, quando recebeu de Josiel e tentou de primeira, mandando para fora. O camisa 11 tricolor, por sinal, perdeu três gols. No banco, Saulo estava transtornado. ?Minha Nossa Senhora?, resumiu ao final da etapa inicial. ?Não tivemos tranqüilidade para concluir, poderíamos estar com dois ou três gols de vantagem?, completou o comandante paranista.

O segundo tempo teve a mesma cara, apesar de, logo a quatro minutos, Coelho ter cobrado uma falta na trave. Mas o domínio tático e técnico era tricolor. Aí entrou de vez no jogo o principal protagonista da noite, o jovem Juninho, goleiro do Atlético-MG. Em pelo menos dois lances, em chutes fortes de Neguete e Éverton (ele, Giuliano e Batista entraram durante a partida), o camisa 1 do Galo fez intervenções sensacionais, que definiram o resultado.

Sim, pois apesar do grande domínio paranista, não adiantou ter tantas chances-foram muitos desperdícios e, quando o chute foi certo, Juninho salvou os donos da casa. Para piorar, Goiano foi expulso e, no lance duvidoso de Neguete, também vantagem do Galo, que saiu do seu poleiro com um imerecido ponto. E o Paraná, valente, viu as chances de permanecer na Série A ficarem ainda mais remotas.

CAMPEONATO BRASILEIRO

2º Turno – 34ª Rodada

ATLÉTICO-MG 0x0 PARANÁ CLUBE

ATLÉTICO-MG

Juninho; Coelho, Marcos, Vinícius e Thiago Feltri; Xaves, Bilu (Marquinhos, 27 do 2º), Gérson e Marcinho (Tchô, 14 do 2º); Marinho e Vanderlei (Lúcio, intervalo).

Técnico: Émerson Leão

PARANÁ

Gabriel; Alex (Giuliano, intervalo), Nem, Neguete e Paulo Rodrigues; Goiano, Jumar, Adriano (Batista, 17 do 2º) e Robson (Éverton, 27 do 2º); Vandinho e Josiel.

Técnico: Saulo de Freitas

Súmula

Local: Mineirão (Belo Horizonte-MG)

Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (FIFA-SP)

Assistentes: Hilton Moutinho Rodrigues (FIFA-RJ) e Émerson Augusto de Carvalho (SP)

Cartões amarelos: Marcos, Vinícius (CAM); Goiano, Paulo Rodrigues, Giuliano (PR)

Cartão vermelho: Goiano e Gérson

Renda: R$ 183.515,00

Público: 34.779 pagantes