O lateral-direito Adriano Sella, o lateral-esquerdo Rafael Gaúcho e o meia Uendel deixaram o Hospital Universitário São Francisco de Paula, em Pelotas, neste domingo (18). Eles estavam entre os jogadores do Brasil que ficaram feridos no acidente com o ônibus que conduzia o time no final da noite de quinta-feira, em Canguçu, no interior do Rio Grande do Sul.

O veículo não conseguiu contornar uma curva e capotou num barranco de 30 metros. O desastre matou o zagueiro Régis, o centroavante uruguaio Cláudio Milar – o maior ídolo do Brasil – e o treinador de goleiros Giovani Guimarães.

Ainda estão internados em Pelotas o lateral Alemão, o volante Edu, o meia Xuxa, o assistente técnico Paulo Roberto Mathias e o massagista Luiz Carlos Borges, que teve de voltar ao hospital no sábado, depois de ter recebido alta na sexta-feira, por causa das dores provocadas por três fraturas nas costelas.

O técnico Armando Desessards optou por ser transferido para o Hospital Mãe de Deus, de Porto Alegre, onde está perto dos familiares. Seu estado de saúde é considerado bom e ele deve ser liberado nos primeiros dias desta semana.

O presidente Helder Lopes vai se reunir com o presidente de Federação Gaúcha de Futebol, Francisco Noveletto, na noite desta segunda, para discutir a participação do Brasil no Campeonato Gaúcho deste ano.

O clube quer disputar a competição, que começa nesta terça, mas para isso depende da transferência de seus primeiros três ou quatro jogos. É o tempo que precisa para receber alguns jogadores do outros clubes e montar um novo time. A estreia, que estava prevista para quinta, contra o São José, de Porto Alegre, já está adiada.