Operários envolvidos com as obras de reforma da Arena da Baixada, que vai sediar quatro jogos da Copa do Mundo 2014.

Na manhã desta quarta-feira (11), os trabalhadores decidiram, em assembleia realizada na frente do estádio, que se não receberem os valores irão paralisar a obra a partir desta quinta-feira (12). “Vamos bloquear os acessos ao estádio e ninguém entra até que o Clube pague suas dívidas com os trabalhadores”, afirmou Domingos Oliveira Davide, presidente do Sintracon.

Além do atraso de salários e benefícios, os operários reclamam de desvios de função nas obras. Segundo depoimentos, serventes atuam como carpinteiros e eletricistas. Também reclamam de pessoas não habilitadas operarem maquinários e de assédio moral de encarregados.

Uma nova reunião entre sindicalistas e diretores da CAP/SA acontece na manhã desta quarta-feira. A expectativa é de seja firmado um acordo. Aproximadamente 1200 trabalhadores atuam nas obras de adequação da Arena da Baixada para a Copa do Mundo da Fifa de 2014.

A reportagem tentou contato com o clube, mas não obteve resposta.