O torcedor do Flamengo enfrentou nesta segunda-feira longas filas para comprar seu ingresso a fim de prestigiar a estreia de Ronaldinho Gaúcho contra o Nova Iguaçu, amanhã, no Engenhão. Mais uma vez, a falta de organização imperou: vários guichês não funcionaram em alguns pontos de venda, como no Engenhão e na Arena da Barra, dificultando a vida de quem encarou o sol forte e perdeu horas para garantir o bilhete. Houve confusão e há relatos de que cambistas agiam livremente. No início da noite, a carga total de entradas – pouco mais de 37 mil – se esgotou.

Não fosse a primeira partida de Ronaldinho Gaúcho pelo Flamengo, certamente o jogo de quarta-feira não teria tanto apelo. Mas, com a presença do astro, a partida tornou-se mais atrativa. A prova disso é que a procura por ingressos, que custavam entre R$ 20 e R$ 40 nas bilheterias, foi intensa desde o fim de semana. Será o maior público do Estadual do Rio, até o momento.

No último domingo, apenas 12.854 pessoas pagaram para assistir ao primeiro clássico carioca do ano, entre Flamengo e Vasco. Por causa das gratuidades, a expectativa é 42 mil presentes amanhã no Engenhão. A BWA, empresa que gerencia a venda de bilhetes para o clube da Gávea, informou que quase 50% dos 37 mil convites postos à venda foram adquiridos pela internet.

Embalada pela excelente campanha do clube no Campeonato Carioca, com quatro vitórias em quatro rodadas, a torcida planeja uma verdadeira festa para dar as boas-vindas a Ronaldinho. Estão sendo confeccionadas bandeiras dedicadas ao craque, eleito pela Fifa por duas vezes o melhor jogador do mundo, em 2004 e 2005. Pode haver também queima de fogos ao redor do Engenhão assim que o time pisar no gramado e receber a saudação vinda das arquibancadas.

A estreia de Ronaldinho também é boa para o bolso do Flamengo. Para estampar sua marca no uniforme rubro-negro nesta partida contra o Nova Iguaçu, a Visa pagará R$ 600 mil e a Cielo, empresa de máquinas de cartões, gastará R$ 300 mil.