O presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt, disse que a Austrália deve ser mantida permanentemente no calendário da Fórmula 1. Em Melbourne para a realização de uma campanha mundial de segurança rodoviária, o dirigente afirmou que a Austrália sempre deve sediar uma corrida por ano da principal categoria do automobilismo mundial.

A visão do francês parece estar em desacordo com a de Bernie Ecclestone, detentor dos direitos comerciais da Fórmula 1, que disse recentemente que a categoria “não precisa” da corrida australiana após o ressurgimento do debate sobre os valores desembolsados pelo estádio de Vitória para receber a corrida.

Todt foi chefe da equipe Ferrari por 15 anos até 2007. Depois, se tornou chefe-executivo da Ferrari, antes de ser escolhido para chefiar a FIA em 2009. Para o dirigente, o GP da Austrália deve ser disputado enquanto existir a Fórmula 1. “Se a Fórmula 1 existe, acho que é importante ter uma corrida na Austrália porque a Austrália está entre as maiores nações do mundo”, disse.

“A Austrália tem feito um grande trabalho junto com pessoas de CAMS [Confederação Australiana de Automobilismo]”, acrescentou. “Eles colocaram a Austrália entre os melhores GPs do campeonato”, disse Todt, que também expressou seu apoio a Melbourne como palco do GP da Austrália “Melbourne é um lugar sensacional, com pessoas agradáveis, e quando cheguei ontem, eu estava pensando o quão bom é Melbourne para a Fórmula 1”.

Com o cancelamento do GP do Bahrein, a corrida na Austrália vai abrir a temporada 2011 da Fórmula 1 no dia 27 de março. No ano passado, a prova foi vencida pelo inglês Jenson Button, da McLaren.