A tocha olímpica passou nesta terça-feira (29) pela cidade de Ho Chi Minh, ex Saigón, ao sul do Vietnã, onde foi seguida por milhares de pessoas e três manifestantes anti-China, que carregavam uma bandeira preta com os cinco anéis olímpicos representados por correntes, foram presos.

Na capital da Coréia do Sul, Seul, continuou hoje a polêmica sobre a violência dos milhares de estudantes chineses que atacaram manifestantes sul-coreanos questionadores da política de direitos humanos de Pequim, no domingo passado, durante a passagem da tocha pelo país.

A violência dos chineses "feriu" o orgulho dos sul-coreanos e o governo do país anunciou que avalia tomar ações judiciais e diplomáticas à respeito do episódio, segundo afirmou hoje o presidente do Conselho de Ministros da Coréia do Sul, Han Seung-Soo.

"Pode ser que tenha havido alguma violência e nós a condenamos, mas os estudantes chineses defenderam a dignidade da tocha olímpica", disse hoje Jiang Yu, porta-voz do Ministério de Relações Exteriores chinês.

Por sua vez, o governo da China denunciou que descobriu o local em que as bandeiras que pedem por "um Tibete livre" são confeccionadas.