A longa batalha jurídica entre Foz do Iguaçu e Operário terá hoje mais um capítulo. Os incidentes da partida que encerrou de forma melancólica a Divisão de Acesso do Campeonato Paranaense devem ser finalmente julgados hoje, no Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR).

O caso será avaliado pela 2.ª Comissão Disciplinar do TJD-PR, a partir das 19 horas. Aos 41 minutos do 2.º tempo, o árbitro Edivaldo Elias da Silva marcou pênalti em favor do Foz, quando o placar aponta 1 a 1 resultado que dava a vaga na 1.ª divisão ao Operário.

Houve muita discussão com a arbitragem, briga entre jogadores e penetras, intervenção da Polícia Militar e arremesso de objetos por parte da torcida de Foz. Os jogadores do Operário se refugiaram nos vestiários e o árbitro encerrou a partida por abandono de campo.

O Fantasma será julgado por impedir o prosseguimento da partida. Caso condenado, pode perder os pontos do jogo (o que daria a vaga ao Foz) e ainda ficar suspenso da Divisão de Acesso em 2009.

O Foz também será julgado, mas está sujeito apenas a perda de mando de campo. Sentam ainda no banco dos réus cinco jogadores do Operário, que podem pegar suspensão de até 10 partidas.

O Fantasma pediu na justiça desportiva que o jogo fosse anulado e realizado novamente, mas foi derrotado nos tribunais. O resultado do julgamento de hoje ainda poderá ser contestado no pleno do TJD e, em última instância, no STJD.