O Corinthians começa na próxima quarta-feira, em Oruro, na Bolívia, a sua campanha pelo bicampeonato na Copa Libertadores. Mas a viajem que promete ser desgastante não será motivo para o técnico Tite poupar nenhum titular na partida deste domingo, contra o Palmeiras, no primeiro clássico do time no Campeonato Paulista.

O treinador ressalta que o fortalecimento do time depende da sequência de jogos e que o clube não deixará o Paulista de lado. “É verdade que há na sequência a abertura da Libertadores. Tem que ter a sequência. Isso está ligado ao bom treinamento de hoje (sexta), amanhã de manha e o clássico. Temos como objetivos bem claros a classificação entre os quatro primeiros no Paulistão e boa abertura na Libertadores. Esses são os desafios”, disse Tite, em entrevista coletiva, nesta sexta.

Ele confirmou que o time joga o clássico com o que considera ser a equipe titular, ou seja: Cássio; Alessandro, Gil, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Jorge Henrique, Guerrero e Emerson. Mas Tite não vê o time campeão mundial favorito contra o maior rival, hoje na segunda divisão do Brasileiro.

“É um grande clássico, independente de momento, posição na tabela, disputa de Libertadores, se e campeão mundial ou não. Corinthians e Palmeiras vai ser sempre um marco muito forte. Esse negócio de ser favorito é só retrospecto, na hora do jogo não conta nada”, ressaltou ele.

Diante do Palmeiras, o Corinthians vai atrás de encerrar uma série de dois jogos sem vitória, com empates diante de Botafogo de Ribeirão Preto e São Caetano. Tite disse que deu um puxão de orelha depois do tropeço contra o time do ABC, no sábado de carnaval, no Pacaembu, mas que a bronca foi bem assimilada.

“Chamei atenção individualmente e coletivamente após o jogo com o São Caetano e a resposta me deixou muito contente. Eu cobrei, exigi, e a resposta veio. É uma preparação para o jogo”, explicou.