O técnico Dado Cavalcanti retorna hoje de São Paulo, após receber o prêmio da Federação Paulista de Futebol como melhor técnico do Paulistão. À frente do modesto Mogi Mirim, caiu apenas nas semifinais – e nos pênaltis – diante do Santos. Com o desafio de mais uma vez ser protagonista, entra na reta final da montagem do “novo” Paraná Clube de olho do ABC. Com uma linha de quatro jogadores na defesa, deve utilizar a característica do grupo, que conta com muitos jogadores de meio-campo.

Mesmo deixando no ar várias possibilidades, Dado deverá armar seu time com dois volantes e três meias, tendo no experiente Reinaldo o jogador mais avançado. Resta saber quais serão as escolhas do treinador na composição do meio-campo. Para o sistema de contenção, conta com Ricardo Conceição e os recém-chegados Cambará e Gilson. Volantes com características distintas. Enquanto Gilson se notabiliza por marcação e “roubadas” de bola, Cambará dá mais opção na saída de jogo.

Já para o setor de criação, opções não faltam. Além do experiente Lúcio Flávio, principal referência do Paraná, ele tem Rubinho, Ronaldo Mendes, Fernando Gabriel e Welington. Isso sem contar os garotos Dudu e Júlio César, que hoje correriam por fora nesta briga pela titularidade.