O novo camisa nove vem
suprir um "vácuo" que não é
preenchido desde a saída de Maciel.

Parece que ele não está sentindo a pressão. Carente de ?matadores? desde que Marcel deixou o Alto da Glória, a torcida do Coritiba rapidamente adotou o centroavante Tiago, que era pedido insistentemente nos últimos dias.

Indo ao encontro do pensamento da galera, o técnico Cuca o escalou como titular contra o Fluminense e ele não decepcionou, marcando um gol e sofrendo um pênalti, além de ter participado de mais um lance de gol. Para os torcedores, Tiago, conterrâneo de Marcel (hoje na Acadêmica de Coimbra), já está aprovado.

Cuca viu e gostou do rendimento do centroavante em Volta Redonda. "Ele esteve muito bem. Ele faz bem o pivô, e também tem capacidade e força para as jogadas rápidas", elogia o treinador coxa. Tiago, em contrapartida, afirma que a tranqüilidade apresentada por ele é fruto do trabalho do técnico. "Foi o Cuca que deixou a gente calmo. Sabíamos que as coisas que treinamos durante a semana iriam nos ajudar na partida", comenta.

Tiago garante que não está preocupado com a expectativa da torcida – que espera dele o que não teve em Genílson, Lima, Tuta, Aristizábal, Luís Carlos e Nunes (os que vestiram a camisa 9 nos últimos anos). "Estou bem tranqüilo. Eu tenho o apoio da comissão técnica, da diretoria e dos companheiros", afirma o atacante, que se diz adaptado ao clube. "Consegui me entrosar com o grupo facilmente", diz.

Mas ele reconhece que a ajuda de Alexandre, que estava com ele no Iraty durante o campeonato paranaense, é fundamental. "A participação dele nas minhas atuações é total. Já nos conhecemos bem, sabemos como cada um gosta de jogar, e de que maneira podemos nos completar", admite. "Ele é muito bom jogador, tem facilidade para marcar gols e, principalmente, ajuda os outros quando é preciso. O Tiago facilita o nosso trabalho", comenta Alexandre.

O camisa 11 do Coxa, destaque da equipe nas primeiras rodadas do brasileiro, acredita que Tiago tem condições de ser o artilheiro da competição. "Com o faro de gol que ele tem, eu não me surpreenderia", avisa o atacante. Para Cuca, as boas atuações dos dois comprova o acerto da contratação. "Além de qualidade, ambos são impetuosos, não sentiram a mudança para Curitiba", afirma o técnico.

E Tiago realmente se sente bem em Curitiba. O único problema para ele, que é natural de Mirassol (interior de São Paulo), mesma terra natal de Marcel, é o frio – que resolveu chegar de vez nesta semana. "Eu estava me adaptando a Irati, que tem um clima mais ameno. Mas aqui é complicado, está esfriando cada vez mais", resume o centroavante. "É mais fácil mudar para um clube grande, como é o Coritiba, que encarar este clima", finaliza.

Cuca tem três opções táticas

Um esboço de formação do Coritiba para a partida de domingo contra o Juventude será visto esta tarde, no CT da Graciosa. Pela primeira vez desde que chegou ao Alto da Glória, o técnico Cuca inicia uma preparação com dúvidas sobre o sistema tático a ser usado. Na mente dele, para um jogo em casa é possível uma formação mais ofensiva.

Cuca acredita que o Coxa tem condições de atuar de forma agressiva no Couto Pereira. "Em casa é que devemos buscar estas opções. Posso atuar com três atacantes", afirma o treinador. Esta opção teria Marciano no ataque, juntando-se a Tiago e Alexandre. Mas ele também pode manter dois avantes e colocar outro jogador de armação. Das duas maneiras, o Cori jogaria com apenas dois zagueiros, que seriam Miranda e Reginaldo Nascimento.

A terceira situação seria a manutenção do esquema com três zagueiros, com Alexandre sendo o substituto de Flávio, vetado pelo departamento médico. Além da definição do sistema, ainda é necessária a escalação do substituto de Rafinha, que está na seleção sub-20.

Problema

O goleiro Fernando passou por uma ressonância magnética, mas ela não foi conclusiva para precisar o tamanho da lesão no ombro. Por isso, ele passará por outro exame, mais elaborado, que deverá definir qual a extensão da contusão, que pode tirá-lo da partida deste domingo.