Apresentado nesta sexta-feira oficialmente como novo reforço do Paris Saint-Germain, o zagueiro Thiago Silva afirmou que espera ter em sua nova equipe o mesmo sucesso obtido no Milan, e que embora a decisão de trocar de time não tenha sido fácil, a tomou por acreditar na “grandeza” do clube francês.

O brasileiro esteve acompanhado na entrevista coletiva de sua apresentação pelo presidente do PSG, o magnata catariano Nasser Al Khelaifi, e do diretor esportivo, o tetracampeão Leonardo, e foi recebido no exclusivo hotel Crillon, em Paris, com gritos de entusiasmo por vários torcedores.

“Acredito neste projeto”, disse Thiago em português, sem deixar de mencionar que, embora a negociação que o levou ao clube tenha sido “complicada”, se sente bem nesta nova etapa de sua carreira e “satisfeito” tanto pessoal como profissionalmente.

O zagueiro, por cuja transferência o Paris Saint-Germain pagou, segundo a imprensa francesa, 45 milhões de euros, admitiu que sua carreira “poderia ter tomado outro rumo se não tivesse certo da grandeza do projeto e do clube”.

“Me sinto privilegiado por poder estar em Paris, jogar e evoluir como jogador. Nem todo mundo tem a sorte de estar em uma equipe deste nível”, disse o brasileiro, feliz por fazer parte de “uma das melhores equipes do mundo”.

O Paris Saint-Germain confirmou sua contratação em meados de julho, e as primeiras impressões do jogador sobre o clube são “excelentes”: “Fui muito bem recebido, e o fato de que haja pessoas que falam italiano e português é algo que vai facilitar minha adaptação”, acrescentou o jogador, ex-Fluminense, de 27 anos.

O zagueiro admitiu que no Milan também foi tratado “muito bem” desde sua chegada, e que na equipe italiana, da mesma forma que pretende nas próximas cinco temporadas, se dedicou “ao máximo para tentar fazer sempre o melhor possível”.

Khelaifi, por sua vez, não poupou elogios a Thiago, que segundo ele “é o melhor zagueiro do mundo”.

“Quando começamos a pensar em trazê-lo, sabíamos que era difícil porque estava no Milan, mas ele veio porque acreditou no projeto”, afirmou o catariano, para quem a estratégia do Paris Saint-Germain é de longo prazo e requer, para estar à altura das expectativas, “bons jogadores”.

Thiago Silva evitou falar do valor de sua contratação e afirmou que sua prioridade é “ganhar e conseguir resultados”, porque “sobre os outros assuntos”, disse, devem falar “os especialistas”.

Já Leonardo admitiu que o investimento foi “grande”, mas ressaltou que essa é a dinâmica atual do mercado futebolístico: “São feitas grandes transferências com altos salários”, declarou o brasileiro.