Com previsão de realizar o primeiro evento de entretenimento na Arena da Baixada em dezembro deste ano, a G3 United terá que apressar o Atlético para a conclusão das obras do teto retrátil do estádio, que foram iniciadas em setembro, mas atualmente estão paradas. Se a tampa do novo caldeirão não for colocada até o início de dezembro, o Shooto, evento de MMA que está previsto para ser realizado no Complexo CAP, pode ficar ameaçado de acontecer na capital paranaense.

Segundo a Prefeitura de Curitiba, que se reuniu nesta semana com representantes do Atlético, o clube está atravessando problemas contratuais com a empresa responsável pela instalação e fornecimento do teto retrátil. De acordo com informação repassada pelos dirigentes atleticanos, as divergências deverão ser resolvidas até o final deste mês e a previsão para a conclusão da instalação do teto deve acontecer em até sessenta dias.

Por isso, as Secretarias de Urbanismo e de Trânsito resolveram desbloquear a Rua Buenos Aires nas esquinas com a Avenida Getúlio Vargas e a Rua Engenheiros Rebouças até que as obras de instalação do teto retrátil sejam retomadas pelo Atlético. A via deverá ser liberada até a próxima sexta-feira, dia 10. Em setembro, algumas peças da estrutura que vai comportar o teto chegaram ao estádio e o processo de montagem chegou a ser iniciado. Entretanto, essas divergências contratuais com a fornecedora da peça impediram o avanço da
obra.

Paraná Online no Facebook