O tenista austríaco Daniel Koellerer foi banido do esporte nesta terça-feira, após ser considerado culpado da tentativa de manipulação de resultados. Aos 27 anos, ele ocupa atualmente a 385ª colocação no ranking mundial, mas já chegou a ser o número 55 em 2009 – não tem nenhum título no circuito profissional da ATP.

A punição a Koellerer foi imposta pela Unidade de Integridade do Tênis (TIU), que foi formada em parceria pela Federação Internacional de Tênis (ITF), pela Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) e Associação Feminina de Tênis (WTA) para combater os casos de manipulação de resultados e corrupção no esporte.

Segundo o comunicado divulgado nesta terça-feira pela TIU, Koellerer violou as regras do Programa Anticorrupção do Tênis em três ocasiões, entre outubro de 2009 e julho de 2010 – não foram revelados os jogos que ele teria tentado manipular. Assim, o austríaco foi banido do esporte e ainda recebeu multa de US$ 100 mil.

Nesta temporada, Koellerer disputou apenas torneios da série Future, que distribuem as menores pontuações e premiações no circuito mundial de tênis. Durante a carreira, ele ainda ficou marcado pela acusação de racismo do brasileiro Júlio Silva, a quem teria chamado de “macaco” em jogo no ano passado.