O futuro do Paraná Clube só será definido a partir de dezembro. A diretoria paranista, reeleita para o biênio 2014-2015, não pretende antecipar nada em relação ao planejamento do departamento de futebol. O calendário para o Tricolor envolve Campeonato Paranaense, Copa do Brasil e Série B.

Caso a mesma diretriz das temporadas recentes seja mantida, a tendência aponta para a montagem de um elenco mais enxuto – e barato – para a largada do Estadual, reservando um investimento maior para o Brasileiro, que no ano que vem começa mais cedo, na segunda quinzena de abril. ‘Mesmo estando fora da briga pelo acesso, temos que agir com responsabilidade em relação à competição’, disse o superintendente Celso Bittencourt. ‘Há interesse de terceiros e vamos enfrentar adversários que lutam contra o rebaixamento e pelo acesso. Então, seguiremos trabalhando normalmente nessas duas semanas’, avisou.

Assim, somente a partir do dia 1.º de dezembro – um dia após a partida frente ao Icasa – é que a diretoria paranista pretende se posicionar sobre o planejamento para 2014. Até mesmo no que diz respeito ao comando do futebol. O 2.º vice Paulo César Silva, até então responsável direto pelo “carro-chefe” do clube, não faz parte do novo conselho diretor. Rubens Bohlen ainda não definiu quem irá assumir essa função. ‘Nossa ideia é ampliar o quadro de pessoas trabalhando nas diversas unidades de negócios. O clube não deve ser planejado apenas por presidente, dois vices e um superintendente’, frisa, constantemente, o presidente reeleito.

Diante dessa postura, é difícil estabelecer um perfil do Paraná para 2014. No entanto, o clube terá, obrigatoriamente, que ‘fazer caixa’ e na busca por esses recursos poderá negociar alguns jogadores ligados à Amaral Sports. Roniery, Brinner, Rubinho e Fernando Gabriel têm bom mercado e já teriam sido sondados por outros clubes.