Em Sochi, assim como em boa parte do Brasil, a preocupação é com o excesso de calor. Não que os competidores e torcedores da Olimpíada de Inverno estejam lidando com recordes de temperatura, como por aqui, mas na Rússia o sol que apareceu novamente nesta quarta-feira já começa a colocar em dúvida a realização de provas na neve nos próximos dias.

Nesta tarde, a temperatura na montanha chegou a 11ºC na sombra e 15ºC no sol, enquanto na costa, onde acontecem as disputas de provas de gelo, como o curling e a patinação artística, os termômetros chegaram a apontar 16ºC na sombra. A preocupação é principalmente com o derretimento de neve, o que adiaria algumas provas.

Diversos atletas já reclamaram, nesta quarta, que a neve natural está derretendo, sobrando apenas a neve mais antiga, que é mais dura. E isso deixa competições como a de esqui alpio mais lentas.

“Isso ainda é prematuro. Estive em algumas competições ontem (terça) e não me pareceu que seja uma dificuldade. Existe previsão de neve para o fim de semana e as temperaturas devem cair”, disse Mark Adams, porta-voz do Comitê Olímpico Internacional, tentando amenizar a situação.

Já prevendo a falta de neve natural, a organização dos Jogos estocou cerca de 450 mil metros cúbicos de gelo. Segundo os organizadores, ainda não há planejamento para mover essa neve até os locais de competição.