Afastada da Confederação Brasileira de Tênis (CBT) desde o começo do ano, Teliana Pereira negocia um acordo com a entidade. Após viver a melhor temporada de sua carreira, a tenista de 24 anos mira o WTA de Florianópolis, marcado para fevereiro de 2013, e sonha quebrar o tabu de brasileiras do País no top 100.

Em março, a CBT tomou a decisão de excluir Teliana do programa de incentivo voltado aos Jogos Olímpicos de 2016. O mal-estar havia começado no mês anterior, com a ausência da pernambucana radicada em Curitiba da equipe que participou dos confrontos da Fed Cup disputados na capital paranaense.

Desde o atrito, a CBT cortou a ajuda oferecida à tenista, que fez toda a sua temporada no exterior. No melhor ano da carreira, Teliana faturou três títulos em seis finais de simples de torneios de US$ 25 mil e ainda conquistou dois campeonatos de duplas, um deles de US$ 10 mil – em Rosário, a atleta ganhou em parceria e no individual.

De origem humilde, Teliana contou com a boa vontade de um grupo de aproximadamente dez pessoas amigas de sua família que contribuíram mensalmente para ajudá-la com os gastos ao longo da temporada. A tenista ainda conseguiu apoios do governo do estado do Paraná e da prefeitura de Curitiba.