Quando pisar no gramado do estádio San Paolo, em Nápoles, no próximo domingo, às 15h45 (horário de Brasília), pelo Campeonato Italiano, o atacante argentino Gonzalo Higuaín, da Juventus, de lidar com a ira dos torcedores napolitanos que o consideram traidor por ter trocado a equipe pelo rival de Turim. Será a primeira vez que o jogador enfrentará o ex-clube na casa do adversário.

“Não sei que tipo de boas-vindas ele receberá”, disse Maurizio Sarri, técnico do Napoli. “Mas sempre foi amor. Higuaín fez história em Nápoles. Nenhum outro jogador marcou mais do que ele em uma campanha da liga. Isso nos agradou muito e no final os fãs vão reconhecer”, complementou o treinador.

A relação de Higuaín com os torcedores do Napoli se transformou rapidamente de amor em ódio após o anúncio da transferência milionária – o time de Turim pagou 90 milhões de euros (aproximadamente R$ 304 milhões) pelo argentino, que fez 36 gols na temporada passada pelo Napoli e quebrou um recorde de 66 anos na Série A do Campeonato Italiano. No total, Higuaín marcou 71 gols em 104 jogos pelo Napoli na competição nas últimas três temporadas.

O sucesso no time fez a popularidade do goleador na cidade se aproximar à do ídolo Diego Maradona, seu compatriota argentino que levou Napoli à conquista dos títulos italianos nas temporadas 1986/1987 e 1989/1990.

Quando a transferência foi anunciada em julho, os fãs do Napoli jogaram camisas, bandeiras e lenços com menções a Higuaín no lixo. Fora do estádio local, ambulantes vendem o guardanapos com a imagem do atacante impressa, em referência ao fato de que ele teria se tornado um jogador descartável. Também uma contusão do argentino foi comemorada efusivamente pelos torcedores. Um restaurante ofereceu pizzas por centavos para celebrar o infortúnio do jogador.

Toda essa atmosfera envolve um dos confrontos mais esperados na Itália e que se realizará duas vezes na sequência. No domingo, a partida será válida pela 30ª rodada da Série A. Três dias depois, as equipes se enfrentam no jogo da volta pela semifinal da Copa da Itália – a ida foi vencida pela Juve por 3 a 1, em Turim. A segurança foi reforçada em Nápoles e a Juventus não vai ficar na cidade entre um jogo e outro.

O goleiro titular da Juventus, Gianluigi Buffon, espera que todo o foco fique restrito ao futebol. “Higuaín será honrado pelas palavras de Sarri (treinador do Napoli), mas há uma partida a ser jogada”, destacou o jogador, que nesta semana completou mil jogos na carreira.

No Campeonato Italiano, a Juventus é líder, com 73 pontos, e o Napoli ocupa a terceira posição com 63. Ambas estariam classificadas para a próxima Liga dos Campeões da Europa, caso a competição terminasse hoje.