O técnico Eddy Etaeta reafirmou neste domingo que ficou impressionado com o “abismo” que há entre a seleção do Taiti e as demais equipes da Copa das Confederações. O treinador taitiano, no entanto, disse estar orgulhoso do esforço empreendido pelos seus jogadores nas três partidas que disputaram.

“Fomos confrontados com a dura realidade que existe entre o futebol profissional e nosso time amador, nos demos conta do abismo que há”, reconheceu o técnico, que viu seu time sofrer 24 gols em três partidas – e balançou as redes apenas uma vez.

Apesar do desempenho bem abaixo da média, Etaeta exaltou a postura do seu time. “Estou orgulhoso dos nossos jogadores, porque apesar dos placares, dos gols sofridos, continuamos jogando. Vencemos muitas dificuldades e gostaria de salientar isso”.

A condição de “zebra” anunciada da Copa das Confederações acabou alçando o Taiti à posição de xodó da torcida brasileira. Ao se despedir da competição, Etaeta agradeceu o apoio dos torcedores locais e destacou a “volta olímpica” dos taitianos no gramado da Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, ao fim da partida.

“No fim do jogo, eles agradeceram todo o apoio recebido da torcida brasileira. Isto é o que levaremos conosco daqui”, declarou, referindo-se também à faixa exibida pelos jogadores com os dizeres: “Obrigado, Brasil!”. Ao fim da entrevista, Etaeta cumprimentou cada um dos jornalistas presentes em sua última entrevista coletiva na competição.