Treinador da Suíça desde 2008, Ottmar Hitzfeld sabe da dificuldade que enfrentará comandando um país europeu em uma Copa do Mundo no continente americano. O alemão lembrou do retrospecto negativo das nações do Velho Continente em edições do Mundial disputadas na América do Sul e na América do Norte.

“Vai ser muito, muito difícil”, disse o treinador ao site da Fundação Laureus. “Não pode ser coincidência que nenhuma seleção europeia foi capaz de ganhar uma Copa na América do Sul. Não no Uruguai, não na Argentina, não no México e com certeza não no Brasil”, afirmou Hitzfeld, incluindo um país do norte do continente americano em sua enumeração ao se referir às Copas de 1970 e 1986, realizadas em solo mexicano e conquistadas respectivamente por Brasil e Argentina.

O alemão acredita na chance de classificação de seu time no Grupo E do torneio, do qual é cabeça de chave com a concorrência de França, Equador e Honduras. “Nós temos potencial para passar para as oitavas de final. Esse é o nosso objetivo. Depois disso, não temos limites”, disse o ex-técnico de Borussia Dortmund e Bayern de Munique.

Hitzfeld ainda aproveitou para exaltar o futebol do país-sede do torneio. “Eu já visitei o Brasil várias vezes e entendo a importância que o futebol tem no País. As pessoas jogam futebol em todo lugar e a todo momento, elas amam e vivem futebol. E eu testemunhei Pelé. Para mim, ele ainda é o melhor jogador da história”, afirmou o técnico eliminado na primeira fase do Mundial de 2010 no comando da Suíça.