Matinhos  – Com ondas variando de meio a um metro e boa formação, começou ontem a seletiva paranaense do Lui Lui Surf Festival – Circuito Brasileiro de Surf Universitário.

A competição, que está sendo disputada nas fabulosas direitas do Pico de Matinhos, reuniu os 50 melhores surfistas regularmente matriculados em instituições de ensino superior do Paraná e se encerra hoje, quando serão definidos os seis surfistas que representarão o Estado na final, que vai ser disputado em dezembro, na praia de Maresias, em São Sebastião – classificam-se os quatro melhores do masculino e a campeã e vice do feminino.

Com um grande desempenho nas baterias iniciais, destaque para o favorito Gil Cordeiro, que encerrou a manhã com a melhor média do dia. Ele marcou 12,50 pontos, ficando à frente de Alessandro Coelho, que recebeu 12,35 da banca de juízes. O grande diferencial, porém, segundo a maioria dos atletas que estão competindo, é o formato que está sendo utilizado pela direção de prova. Com esse sistema de disputa, “os surfistas entram no mar com maior tranqüilidade, pois sabem que um mau resultado pode ser revertido”, argumentou André Portugal, quinto melhor ontem, e campeão da seletiva na temporada 2001.

O modelo de competição do Lui Lui Surf Festival é a dupla eliminatória. Todos os atletas caem na água em duas baterias, e suas quatro melhores notas são computadas para definir quem avança para as semifinais, que então passa a utilizar o sistema tradicional, com os dois melhores se classificando em cada bateria de quatro, para a grande final, que será disputada às 14h, novamente no Pico de Matinhos.

“Doutor” das ondas

Entre os melhores do surfe universitário do Paraná, André Portugal é uma das novidades na seletiva deste ano. Ele ficou de fora da competição no ano passado, foi o grande campeão da temporada passada. O motivo da ausência foi o trabalho. Quartanista do curso de Direito da UTP, André passou no concurso do Tribunal de Alçada e teve que reduzir o volume de treinos. “Nem todos os finais de semana posso vir para a praia treinar”, conta. Dividido, vê o lado positivo por estar assumindo maior responsabilidade com a função pública, mas deixa escapar uma ponta de saudade pelo fato de não poder conciliar as duas funções. (Márcio Rodrigues viajou a Matinhos a convite da Lui Lui.)