Dois dias depois de confirmar a demissão de Guus Hiddink, que não resistiu ao momento ruim vivido pela Holanda nas Eliminatórias da Eurocopa de 2016, a Federação Holandesa de Futebol (KNVB, na sigla em holandês) anunciou oficialmente nesta quarta-feira que Danny Blind é o novo comandante da seleção nacional já a partir do início do próximo mês.

Ex-auxiliar de Hiddink e ex-jogador do Ajax e da própria Holanda, Blind já estava programado para assumir o cargo após o fim da Eurocopa de 2016, quando encerraria o contrato do comandante demitido na última segunda-feira. E agora a KNVB informou que o novo treinador assinou contrato para começar a dirigir a seleção a partir de 1º de agosto, sendo que o novo compromisso é válido até 1º de agosto de 2018.

“Estamos satisfeitos que, após a saída de Guus Hiddink, rapidamente e em casa encontramos um sucessor adequado. Desejamos a Danny, juntamente com sua comissão, todo o sucesso”, afirmou o diretor da KNVB, Bert van Oostveen.

Blind, por sua vez, ressaltou que vai “trabalhar duro para classificar a Holanda para a Eurocopa do próximo ano”. “Esse é meu único objetivo: obter a classificação, não olhar para trás e seguir adiante”, ressaltou o novo comandante holandês.

O fim do contrato de Hiddink foi antecipado para esta quarta-feira, depois de o técnico fracassar nesta sua nova passagem à frente da equipe nacional, que ele levou à semifinal das Copas do Mundo de 1994 e 1998. O seu histórico positivo não foi suficiente para segurá-lo no cargo, depois de a Holanda somar apenas dez pontos em seis partidas até aqui nas Eliminatórias da Eurocopa, na qual o país ocupa a terceira posição do Grupo A, ficando atrás de Islândia e República Checa.

Hiddink acabou sendo demitido também pelo fato de não ter conseguido dar continuidade com sucesso ao bom trabalho realizado por Louis van Gaal, que levou o Holanda ao terceiro lugar da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, onde os holandeses apresentaram um belo futebol.